Europa adopta estratégia para combater malefícios do abuso do álcool

  • Print Icon

A comunicação hoje adoptada é um documento que delineia a estratégia para reduzir os malefícios causados pelo abuso do álcool, em que cada estado-membro desenvolve as acções que julgar mais adequadas.

O comissário europeu para a Saúde, Markos Kyprianou, disse em conferência de imprensa que o executivo de Bruxelas “reconhece que o abuso do álcool é um problema europeu e precisa de uma resposta europeia”.

“A estratégia lança um desafio, incluindo à indústria, de mostrar resultados”, sublinhou.

Um dos objectivos é avaliar a eficácia de haver idade mínima de consumo de álcool: “o limite de idade existe nos estados-membros, mas a aplicação é inadequada”, referiu o comissário.

A avaliação da estratégia está prevista para 2012, mas o comissário especificou que haverá “uma monitorização contínua” do combate ao abuso do álcool.

As prioridades identificadas pela comissão são a protecção de jovens e crianças, a redução do número de vítimas de acidentes rodoviários provocados pelo álcool, prevenir os danos causados pelo abuso e reduzir a influência negativa que a dependência do álcool tem na economia, aumentar a consciência do impacto que o abuso tem na saúde e ainda contribuir para que sejam elaboradas estatísticas fiáveis.

A comunicação hoje adoptada prevê ainda a partilha de experiências bem sucedidas em estados-membros.

“Esta reflexão é particularmente importante dado que alguns estados-membros prevêem a introdução de avisos nos rótulos” das bebidas, como por exemplo para as consequências nefastas em mulheres grávidas.

“Vamos monitorizar a eficácia desta medida”, referiu Kaprianou.

A Finlândia e a França deverão adoptar esta medida em breve.

O executivo de Bruxelas pretende ainda apoiar estados-membros e organizações na divulgação de informação e no desenvolvimento de programas de educação sobre a matéria.

“A comunicação será apresentada ao Conselho Europeu de ministros da Saúde em Novembro”, referiu o comissário.

Em relação à indústria do álcool, Kaprianou adiantou que esta é chamada a participar na estratégia, cooperando com as várias autoridades de saúde nacionais.

“Os melhores exemplos desta cooperação vêm de fora da Europa, dos Estados Unidos e Canadá”, lamentou.

Segundo dados da comissão, na União Europeia 55 milhões de adultos bebem para além do limite do uso – mais de 40 gramas de álcool, o que corresponde a quatro bebidas destiladas por dia, nos homens e 20 gramas nas mulheres.

O abuso do álcool é responsável por 195 mil mortes anuais nos 25 estados-membros, sendo a terceira causa de morte e doença a seguir ao tabaco e à pressão artérial elevada.

Em relação aos jovens do sexo masculino com idade entre 15 e 29 anos, uma em cada quatro mortes é devida ao abuso de álcool, enquanto no sexo feminino a proporção é de uma para dez.