Crianças portuguesas são as que recebem maior “semanada”

  • Print Icon

De acordo com o estudo, as crianças portuguesas começam a auferir dinheiro dos pais a partir dos 7,5 anos, ao contrário das alemãs, que, aparecendo no top o da lista, têm a vulgar “semanada” a partir dos 5,7 anos.

É na Alemanha que mais crianças têm direito à “semanada”, contrariamente a Portugal, onde, a par da França, os mais novos recebem mais dinheiro por semana – 5,4 euros.

O estudo revela que, na maioria dos países auscultados, o dinheiro da “semanada” é poupado ou guardado.

Só em França, Reino Unido e Espanha é que a “semanada” é destinada preferencialmente para a compra de brinquedos.

Em 2005, as crianças britânicas foram as que mais receberam brinquedos (16,9 e 12,5 brinquedos no Natal e aniversário, respectivamente).

Em Portugal, a média foi de 9,5 e 10,5 brinquedos pelo Natal e aniversário , respectivamente, ultrapassando a da Polónia, o país onde as crianças tiveram menos brinquedos (6,5 e 6,1).

Em média, os pais portugueses gastaram no ano passado 129 euros em brinquedos para cada criança, menos 113 euros do que os britânicos, os mais gastadores.

Depois dos italianos (182 euros) e dos ingleses (145 euros), os pais portugueses (142 euros) são os que mais gastam na organização de uma festa de anos dos seus filhos.

As crianças portuguesas são as que mais frequentam festas de aniversário por ano (9) e gastam mais dinheiro na compra de um presente para o aniversariante (17 euros), superando a média europeia (7 festas e 15 euros por presente).

É através da publicidade na televisão que a esmagadora maioria das crianças inquiridas tem conhecimento dos seus brinquedos preferidos.

O estudo foi efectuado em Maio pela Duracell Toy Survey, englobando mais de 1.100 crianças, dos cinco aos dez anos, e igual número de progenitores de 11 países europeus: Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Holanda, Hungria, Itália, Polónia, Portugal, Reino Unido e Suécia.

Em cada país foram realizadas entrevistas a mais de 100 crianças e a igual número de pais.

O estudo visava avaliar o comportamento de consumo de brinquedos das crianças e pais.