Soltos em Giões os primeiros linces-ibéricos libertados no Algarve

  • Print Icon

Sismo e Senegal são os primeiros linces-ibéricos libertados no Algarve. Libertação decorreu ontem à tarde em Giões, Alcoutim.

A primeira solta de linces-ibéricos a ter lugar no Algarve decorreu esta quinta-feira, dia 24 de fevereiro, às 15h00, em Alcoutim.

Foram reintroduzidos na natureza dois exemplares, Sismo e Senegal, macho e fêmea, respetivamente, nascidos no Centro de Reprodução em Cativeiro de El Acebuche (Andaluzia).

Sete anos após o início do processo de reintrodução, são agora referenciados cerca de 200 exemplares distribuídos por um vasto território que se estende entre os concelhos de Serpa e de Tavira.

Um dos aspetos mais relevantes de 2021 foi a consolidação da população em território algarvio, que já contava com cerca de 20 exemplares e que agora soma mais dois: Sismo e Senegal.

Durante o ano passado, registou-se ainda a ocorrência de nove nascimentos na região do Algarve, existindo ainda um amplo território que poderá vir a ser ocupado pela espécie.

Para esta situação muito positiva tem contribuído a colaboração de proprietários e de gestores de herdades e de zonas de caça, uma gestão sustentável do território, a abundância de coelho-bravo, uma atitude favorável evidenciada pela população local à presença do lince e a conectividade da população de linces do Vale do Guadiana com as presentes noutras áreas de Espanha, fundamental para o incremento da variabilidade genética.

A área de reintrodução em Portugal, foi selecionada em 2014, no âmbito do projeto LIFE Iberlince. A zona do Vale do Guadiana compreende territórios dos concelhos de Mértola, Serpa e outras adjacentes, para onde os linces se dispersaram de forma natural, nos concelhos de Alcoutim, Castro Verde e Beja.

Estas áreas estão agora a ser consolidadas, ampliadas e interligadas no âmbito do projeto LIFE Lynxconnect, liderado pela CAGPyDS da Junta de Andaluzia, iniciado em setembro de 2020 e que, em Portugal, congrega como parceiros, para além do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), a CIMBAL – Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo e a Infraestruturas de Portugal, IP.

A reintrodução é um processo a médio longo prazo que tem como objetivo estabelecer uma população viável e que mantenha um fluxo genético regular com outras populações de lince, restabelecendo a situação favorável à espécie.

A ação contou com a presença de Nuno Banza, presidente do ICNF e de João Alves, técnico superior do ICNF e responsável pelo projeto LIFE Lynxconnect.

Fotos: ICNF.