Nova loja «Ampère Ride» aposta nas scooters e motos elétricas

  • Print Icon

Alternativas aos motores de combustão estão a motivar a abertura de novos negócios dedicado à mobilidade urbana e sub-urbana mais sustentável e amiga do ambiente.

Há uma nova loja no centro de Faro que apenas vai vender veículos de duas rodas elétricos. A «Ampère Ride» inaugurou na segunda-feira, dia 28 de outubro, e é um negócio familiar, segundo contou ao «barlavento» o casal proprietário Vladimiro e Mafalda Sousa. «Este é um projeto que pretende contribuir para uma mobilidade mais económica e para a redução da pegada ecológica.

A ideia surgiu em agosto, através de um colega da empresa onde eu trabalhava. Fiquei interessado não só pelas motas, mas também pelo conceito associado, da mobilidade sustentável», disse Vladimiro Sousa ao «barlavento».

A grande vantagem é que «estas motas permitem às pessoas deslocarem-se sem grandes preocupações em termos de trânsito ou de estacionamento, e com custos menores. Não exigem revisões e mudanças de óleo. A única manutenção é a substituição de pastilhas de travão e pneus».

Para já, a loja arranca com a comercialização de três marcas. «Temos também veículos que não exigem matrícula, como as trotinetes, e todos os acessórios necessários».

Ainda segundo o empresário, «temos motas com autonomias superiores a 100 quilómetros sem carregar a bateria. O gasto equivale a um euro em energia elétrica», estima. O mundo das duas rodas não é estranho ao proprietário.

«Nasci no meio das motorizadas de combustão. O meu pai, nesta mesma rua (Rua de São Luís), teve uma casa de reparação e venda de motorizadas. Mas temos de conseguir avançar e adaptar-nos à evolução dos tempos. O planeta precisa que façamos algo para melhorar e garantir o futuro ambiental. Eu não andava de mota há muitos anos, voltei a andar em agosto e desde setembro já fiz mais de 400 quilómetros nestas motas, que me custaram apenas quatro euros, sem poluir».

O empresário aposta numa variedade inédita na região. Apesar do entusiasmo, não deixa de ter uma palavra crítica sobre a forma como as trotinetes elétricas têm sido introduzidas nas cidades algarvias. «Carecem de alguma educação rodoviária que deve ser dada aos utilizadores, que são sobretudo jovens».

Em relação à sustentabilidade da nova loja, «tenho muitas intenções de compra, felizmente. Estivemos presentes na Feira de Santa Iria e durante 10 dias o nosso stand foi visitado por mais de 10 mil pessoas, com uma receptividade fantástica, de todas as nacionalidades. Começam a estar sensibilizadas para o veículo elétrico».