Vila do Bispo vai ter habitação a custos controlados

  • Print Icon

São 102 famílias de Vila do Bispo que vão poder beneficiar de habitação a custos controlados no âmbito do Programa 1º Direito.

O acordo de colaboração entre o município de Vila do Bispo e o Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana (IHRU), no âmbito do 1º Direito – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, foi assinado na passada terça-feira, dia 27 de setembro.

Este acordo vai permitir dar resposta a 229 pessoas, 102 agregados familiares, sem condições financeiras para suportar o custo de acesso a uma habitação adequada.

Trata-se do primeiro protocolo que concretiza a Estratégia Local de Habitação (ELH) de Vila do Bispo, prevendo a construção de 100 fogos e a reabilitação de outros dois, num investimento global previsto de mais de 17,5 milhões de euros, a executar num prazo de seis anos.

Do montante total, o IHRU financia cerca de 4,5 milhões de euros, de forma não reembolsável e sete milhões a título de empréstimo bonificado, sendo que o restante fica à responsabilidade da autarquia.

O acordo assinado por Rute Silva, presidente da Câmara de Vila do Bispo, e Isabel Dias, presidente do Conselho Diretivo do IHRU, foi ainda homologado por Marina Gonçalves, secretária de Estado da Habitação.

De realçar que no corrente ano, o município de Vila do Bispo já tinha aprovado e remetido para aprovação do IHRU a sua Estratégia Local de Habitação, na qual se encontram sinalizadas as situações de carência habitacional no concelho e as respetivas soluções definidas, onde serão enquadrados os pedidos de apoio ao abrigo do 1º Direito.

Nesse sentido, e de acordo com o documento, está prevista a construção de 46 fogos na freguesia de Vila do Bispo e Raposeira, 25 na freguesia de Budens e 29 na freguesia de Sagres, todos em terrenos de propriedade municipal, sendo que a ELH abrange ainda a reabilitação de dois edifícios na sede do concelho.

Para Rute Silva, «a resolução dos problemas de habitação é prioritária e este acordo com o IHRU é um bom presságio para iniciar, com rapidez e eficácia, a construção de novos lares e a reabilitação do parque habitacional existente para assegurar o bem-estar das famílias».