Vila do Bispo formou 24 operacionais em Suporte Básico de Vida e DAE

  • Print Icon

No âmbito do projeto de colocação de desfibrilhadores automáticos externos (DAE) na via pública no município de Vila do Bispo, o serviço municipal de proteção civil formou, entre os dias 3 e 7 de setembro, 24 operacionais DAE.

Os formandos, que são colaboradores da Câmara Municipal, Santa Casa de Misericórdia, empresários e militares da GNR de Vila do Bispo, receberam formação específica em Suporte Básico de Vida (SBV) e Desfibrilhação Automática Externa (DAE).

A primeira fase do projeto começou com a formação destes 24 operacionais DAE, que são todos voluntários.

Ainda nesta fase, serão instaladas duas cabines na via pública, uma na freguesia de Vila do Bispo e Raposeira, em frente ao Centro Cultural, e outra na freguesia de Sagres, na Avenida Comandante Matoso, que estarão equipadas com um desfibrilhador automático externo cada.

Desta forma, o concelho conta com o total 74 colaboradores (Operacionais DAE), dos quais 50 são operacionais dos Bombeiros Voluntários de Vila do Bispo, habilitados a utilizar os DAE’s em caso de paragem cardiorrespiratória. Estes são dispositivos eletrónicos portáteis que, em situações de paragem cardiorrespiratória, analisam o ritmo cardíaco e nas situações indicadas aplicam um choque elétrico com o intuito de se retomar um ciclo cardíaco normal e assim evitar a morte da vítima.

A paragem cardiorrespiratória de origem cardíaca é a principal causa de mortalidade nos países desenvolvidos. Em Portugal, estima-se que ocorram 10.000 casos todos os anos, acontecendo quase sempre de forma súbita, inesperada e fora do meio hospitalar.

Na grande maioria dos casos o único tratamento eficaz é a desfibrilhação elétrica (choque) e o fator mais importante para o sucesso da intervenção é o tempo que decorre entre o colapso da vítima e o início das manobras de Suporte Básico de Vida e utilização de um desfibrilhador.

Em Portugal, a taxa de sobrevivência de uma vítima de paragem cardiorrespiratória presenciada é inferior a 3 por cento. Este valor compara com uma taxa de sobrevivência de 74 por cento em locais com Programas DAE.

O programa DAE Vila do Bispo, licenciado pelo INEM, conta com o apoio da Ocean Medical para assegurar o responsável médico, o controlo de qualidade e a formação dos Operacionais DAE. O modelo formativo seguido foi o da American Heart Association.