Tutela quer classificar moradia de Souto de Moura na Quinta do Lago

  • Print Icon

Moradia na Quinta do Lago pode vir a ser Monumento de interesse Nacional. Autarquia de Loulé quer reconhecer valor deste imóvel e da Estalagem da Cegonha, em Quarteira.

Depois da Câmara Municipal de Loulé ter dado início ao procedimento para reconhecer uma moradia localizada na Quinta do Lago como Monumento de Interesse Municipal, é agora a vez da Direção-Geral do Património Cultural querer classificar o mesmo edifício, exemplar da arquitetura contemporânea, de Monumento de Interesse Nacional.

A referida casa situa-se no coração deste empreendimento turístico, na Avenida Ayrton Senna, 33, no Loteamento Golfe Norte, freguesia de Almancil.

Trata-se de um projeto da autoria do Arquiteto Eduardo Souto de Moura, um dos nomes maiores da Arquitetura portuguesa.

Consideram os responsáveis municipais ser este «um testemunho do património arquitetónico contemporâneo do século XX, na categoria de arquitetura civil e na tipologia habitacional» e como tal, esta classificação – caso venha a efetivar-se – será também o reconhecimento do trabalho desenvolvido pelo município com vista à «valorização e divulgação do seu património enquanto fatores decisivos para a preservação da sua memória coletiva».

Ainda dentro desta política para o património, a Câmara Municipal de Loulé pretende igualmente que a Casa Senhorial da Quinta de Quarteira, mais conhecida como «Estalagem da Cegonha», venha a ser reconhecida como «Imóvel de Interesse Municipal».

O emblemático conjunto edificado datado do século XV, que reúne vários edifícios que compõem atualmente o complexo hípico da Estalagem da Cegonha, localizado em Vilamoura, freguesia de Quarteira, «testemunho vivo» da história de Loulé e da transformação e desenvolvimento de Portugal nos meados do século XV.

«Esta proposta é de primordial importância e tem como objetivo final a preservação deste bem patrimonial e a potenciação dos seus valores culturais e identitários, adianta a Autarquia de Loulé».

Ambas as propostas serão agora remetidas para discussão na Assembleia Municipal de Loulé.