Tavira comemora 25 de Abril com vários momentos culturais online

  • Print Icon

Cerimónia protocolar também terá transmissão pelos canais digitais.

O município de Tavira assinala o 47º aniversário do 25 de Abril a partir das 10h30, nos Paços do Concelho, com o hastear das bandeiras seguido de uma sessão comemorativa da Assembleia Municipal, em modo restrito, e com transmissão via Facebook do Município.

Esta sessão conta com as intervenções do presidente da Assembleia Municipal, José Baía, da presidente da Câmara Municipal, Ana Paula Martins, e dos representantes dos partidos políticos com assento nos órgãos autárquicos.

Também a partir do Facebook do município estará disponível um programa cultural alusivo a esta celebração, com vários momentos entre os dias 23 e 25.

Assim, no dia 23, sexta-feira, às 21h30, Domingos Caetano (líder da banda IRIS), acompanhado dos seus músicos, revisita o repertório de Zeca Afonso.

No dia seguinte, à mesma hora, a Armação do Artista selecionou um conjunto de textos associados aos valores de Abril e apresenta um recital de poesia e música, com o ator tavirense Vitor Correia (declamação) e o músico Pedro Antunes (guitarra).

Segue-se, às 22h00, a exibição do objeto artístico «Sempre», da Associação corpodehoje, com direção artística de Ana Borges e Sandra Santos, co-criação de André Correia da Rocha, Inês Férin, Natércia Kuprian e Razguzz para a Vaivém Insuflável (companhia satélite da corpodehoje).

Este trabalho resulta de uma dramaturgia que foi emergindo por entre os depoimentos da comunidade, em contexto de pandemia COVID-19, e as imagens de movimento ao ar livre.

A findar os momentos culturais, no dia 25 de abril, às 21h30, a Orquestra de Jazz do Algarve apresenta o espetáculo «Liberdades», com um programa diversificado nas vozes de Ana Lains e Ana «Cherry» Caldeira.

Um momento em que serão interpretados temas nacionais como «E Depois do Adeus», «Pedra Filosofal», assim como temas internacionais como «Bella Ciao» ou um «Blowing In The Wind».

A Câmara Municipal de Tavira lembra que «pelo segundo ano consecutivo, em virtude da atual pandemia, comemora-se a Revolução dos Cravos de um modo diferente, mas com a mesma vontade e esperança no futuro».