Secretário de Estado Mário Campolargo visitou Smartcity de Lagoa

  • Print Icon

Mário Campolargo veio conhecer a Sala de Operações da Smartcity de Lagoa, uma das primeiras a ser implementada no país.

O secretário de Estado da Digitalização e da Modernização Administrativa, Mário Campolargo, acompanhado de Bernardo Sousa, diretor executivo da Estrutura de Missão Portugal Digital, visitou a Sala de Operações da Smartcity de Lagoa na passada sexta-feira, dia 2 de dezembro, com o objetivo de perceber como é que o município a implementou e como todo o projeto se desenvolve.

Na visita, Mário Campolargo pretendeu inteirar-se sobre as boas práticas implementadas no projeto de Lagoa e como é que as mesmas poderiam ajudar outros concelhos a implementá-las.

Ao mesmo tempo, o secretário de Estado quis perceber como uma estratégia nacional de digitalização de Portugal poderá ajudar a Smartcity de Lagoa a crescer e a desenvolver novas valências.

Depois de uma apresentação geral de todo o projeto em Lagoa e das dinâmicas que já estão a ser desenvolvidas, foram ainda abordadas as mais-valias da Smartcity e quais os obstáculos na implementação da mesma.

Seguiu-se a visita à Sala de Operações de Lagoa e aos contentores de Resíduos Sólidos Urbanos, que já possuem sensores que permitem perceber quando os mesmos estão cheios e necessitam recolha.

«Para nós é uma enorme honra receber o secretário de Estado da Digitalização e da Modernização Administrativa e perceber que o trabalho desenvolvido na Smartcity de Lagoa é reconhecido a nível nacional e uma referência para outros municípios», disse Luís Encarnação, presidente da Câmara Municipal de Lagoa.

De recordar que as Smart Cities, ou cidades inteligentes, são ambientes que utilizam a Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) a favor dos cidadãos, colocando em prática a eficiência urbana. Identificam problemas, reavaliam processos e adaptam os seus espaços de acordo com as soluções oferecidas pelas TIC.

Já o projeto Smarticity: Lagoa pretende promover o desenvolvimento e produção de soluções urbanas inovadoras, de forma integrada, com vista à estruturação da oferta e valorização nos mercados nacionais e internacionais; potenciar a participação das empresas da região no mercado das cidades inteligentes e afirmar a imagem do município como um espaço de conceção, produção e experimentação de produtos e serviços para as Cidade Inteligentes.