São Brás integra projeto-piloto na área da redução de risco de catástrofes

  • Print Icon

Município de São Brás de Alportel integra o projeto-piloto nacional de modernização administrativa «Região Resiliente 2.0», que tem como objetivo criar uma solução inovadora para a conceção de plataformas locais para a redução do risco de catástrofes e cuja implementação teve início a 21 de outubro.

Este é um projeto dinamizado pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), a Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) e a Agência para a Modernização Administrativa (AMA), que envolve os 16 municípios do distrito de Faro e engloba quatro fases: capacitação dos elementos da equipa do projeto; trabalho de investigação e de campo para avaliação dos desafios existentes em cada local; desenvolvimento de uma solução em cocriação com todas as partes envolvidas e, por fim, experimentação e validação da solução entre todas as partes envolvidas.

O «Região Resiliente 2.0» é inovador também pela promoção da participação ativa dos cidadãos, das universidades, das empresas e dos serviços públicos neste esforço global de criação de comunidades mais resilientes.

Um objetivo a ser alcançado através da integração das medidas de redução do risco de catástrofes e de adaptação às alterações climáticas nas políticas locais, em linha com os objetivos da Estratégia Nacional para uma Proteção Civil Preventiva 2030.

O presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, Vitor Guerreiro, classifica a integração neste projeto-piloto como «fundamental para o desenvolvimento e modernização dos serviços de Proteção Civil de toda a região. O reforço da cooperação entre entidades e a comunidade em geral irá permitir otimizar respostas face a intempéries e outras situações de risco, aumentando a atratividade e o nível de confiança dos cidadãos na região».

O projeto, financiado pela ANEPC, foi aprovado em conselho intermunicipal da AMAL a 21 de maio de 2021 e entra agora na primeira fase que se desenvolverá durante nove meses.