Quinta Pedagógica de Portimão celebra Dia Mundial das Abelhas

  • Print Icon

Programa com várias atividades para os mais novos.

A Quinta Pedagógica de Portimão vai ser palco das comemorações locais do Dia Mundial das Abelhas (assinalado a 20 de maio) no próximo dia 21 de maio, a partir das 10h00, sob o lema «Save the Bees».

O programa preparado para registar a efeméride começa às 10h00 com a dramatização do conto «A Abelha», de Kristen Hall, pelo Serviço Educativo da Biblioteca Municipal Manuel Teixeira Gomes, a que se segue uma hora depois a apresentação do livro «Mel, uma abelha especial», de Sofia Furtado, ilustrado por São Correia Vicente, com a presença da escritora.

«Mel, uma abelha obreira, tem dúvidas sobre a importância das abelhas no ecossistema. Com a ajuda de Pedro, vai descobrir que as abelhas não são apenas importantes, são essenciais para o equilíbrio do planeta», pode ler-se na sinopse da obra.

Sofia Furtado nasceu em Loulé no ano de 1978 e licenciou-se em Educação Especial e Reabilitação, trabalhando de perto com crianças e idosos. O despertar para a literatura infantil foi acontecendo com o crescimento do filho, que a certa altura não pedia para que a mãe contasse histórias, mas que as inventasse.

A programação, da responsabilidade do município de Portimão, encerra por volta das 12h00 com o ateliê «Sou apicultor», onde participará Simão Vilas-Boas, proprietário de uma exploração apícola em Barão de S. Miguel, e que explicará às crianças a partir dos seis anos tudo sobre o mel, as abelhas e a apicultura.

A data de 20 de maio, proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas, pretende destacar a importância da polinização para o desenvolvimento sustentável. A abelha é um ser vivo fundamental na preservação da biodiversidade, sendo a grande responsável pela polinização, sem a qual muitas das plantas não se conseguiriam reproduzir. «Sem abelhas, a flora e a fauna terrestre extinguir-se-iam e o mundo, tal como o conhecemos, desapareceria».

Esta efeméride «ganha maior relevância quando se sabe que as abelhas e os outros polinizadores como borboletas, joaninhas e escaravelhos, entre outros, estão ameaçados devido à ação humana, pelo uso e abuso de pesticidas, a que acresce a proliferação das monoculturas, o que arrasa a diversidade das flores, principal fonte de alimento das abelhas».