Portimão lança campanha e confirma cinco casos de Coronavírus

  • Print Icon

Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão confirmou hoje aos jornalistas que há cinco casos de Coronavírus na cidade, o que justifica o lançamento de uma campanha que pede medidas «corajosas» para estancar a pandemia até ao verão de forma a não colocar em risco a economia do concelho.

Sob o mote «Seja Responsável! Faça a sua Parte. Siga as recomendações», a Câmara Municipal de Portimão lançou hoje uma campanha que apela à responsabilidade individual e coletiva da população.

Em conferência de imprensa, esta manhã, nos Paços do Concelho, a autarca Isilda Gomes justificou a urgência do reforço de medidas preventivas.

«Isto impõe-se porque é preciso fazer uma sensibilização aos jovens, aos cidadãos, apelando à necessidade de quem não precisa de sair de casa, que permaneça em casa. Estamos a passar por um período difícil e por isso é tempo de unirmos esforços para contermos a propagação do Coronavírus em Portimão», disse.

«Neste momento temos cinco casos, dois deles de transferência secundária. Se não formos responsáveis, não conseguimos parar esta pandemia. Quando temos duas escolas fechadas e vemos os centros comerciais cheios de jovens, vemos as praias cheias de gente, naturalmente que a Câmara tem obrigação de sensibilizar os seus concidadãos. É isso que estamos a fazer. É dizer a cada cidadão que é responsável pela sua saúde e pela saúde dos outros», alertou.

É que além da jovem aluna da Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes, o primeiro caso confirmado de COVID-19 na cidade, e de um mais estudante nesse estabelecimento infetado, da mãe da jovem, professora na EB 2,3 José Buisel, a autarca portimonense confirmou que «o marido da professora já deu resultado positivo e há agora um colega da docente» que também está contaminado.

Ou seja, são agora cinco os casos de Coronavírus confirmados em Portimão.

«Nós só temos duas opções. Ou tomamos decisões responsáveis e corajosas durante um período de tempo, ainda que limitado, ou estamos sujeitos a que a nossa economia caia e que seja muito difícil recuperá-la. Porque se durante um mês ou dois, não conseguirmos parar ou estancar esta transmissão do Coronavírus em Portimão, obviamente que isto arrastar-se-á pelo verão e aí sim, a economia vai cair drasticamente», alertou.

«Ninguém sabe se a pessoa ao seu lado também está infetada», acautelou. «Estes cuidados têm de ser redobrados a partir do momento em que já temos transmissão secundária» do Coronavírus.

Apesar de questionada pelos jornalistas, sobre a decisão da ministra da Saúde de manter as escolas do país a funcionar, ou sobre um eventual alargamento desta campanha a outras regiões do Algarve, Isilda escusou-se a opinar. «Poderia ser mal entendida. Não devo, não posso e não quero dar a minha opinião».

A autarca sublinhou que todas as medidas adotadas no concelho até hoje «foram todas sancionadas e apoiadas pela Autoridade Local de Saúde Pública».

«Temos de ser proativos. Para mim é preferível pecar por excesso do que por defeito. Estou muito tranquila, sei que estou a trabalhar para bem do nosso concelho. A seguir ao Coronavírus, o pior vírus é o alarme social. Temos de fazer as coisas com calma e tranquilidade. Não vamos todos correr aos supermercados e às farmácias a pensar que o mundo vai acabar amanhã, porque não vai. Se formos com muita força podemos bater com a cabeça e ninguém quer isso. Vamos atacar este problema com tranquilidade, determinação e responsabilidade. Só assim podemos ter sucesso nesta luta contra um inimigo invisível que não sabemos onde está, nem com que armas o podemos combater», sublinhou Isilda Gomes.

Para já, foram operacionalizados Planos de Contingência na Câmara Municipal e Juntas de Freguesia, houve sessões de esclarecimento no ensino público e privado, para os agentes de proteção civil locais, agentes turísticos que operam no concelho, coletividades, clubes e associações. Os equipamentos culturais e desportivos estão encerrados até 31 de março.

As coletividades seguiram o exemplo da autarquia e suspenderam atividades.

«Portimão recomenda que a comunidade escolar cujos estabelecimentos de ensino estejam encerrados, a permanecer em casa. E que os cidadãos tomem as medidas básicas de recato social, evitando deslocações desnecessárias para fora do concelho».

Já os estabelecimentos de restauração devem disponibilizar sabonete líquido e gel desinfetante e implementar a máxima distancia de segurança entre mesas, no mínimo, um a dois metros.

Os ginásios devem interromper a sua atividade ou reduzir o número de praticantes a 10 pessoas por espaço ou sala, intensificando a higienizarão e ventilação.

Em relação ao comércio tradicional, conforme a dimensão dos espaços, a autarquia recomenda apenas a presença simultânea de 10 pessoas de forma a garantir a margem de segurança recomendada.

As grandes superfícies devem evitar aglomerações de pessoas e garantir nas linhas de caixas a distancia de segurança recomendada, assim com disponibilizar desinfetantes para uso público.

A população deve também evitar viagens e grandes aglomerações na praia, parques infantis, centros comerciais, cinemas, entre outros.

«Estas são as nossas recomendações e acredito que juntos vamos parar o Coronavírus», reforçou Isilda Gomes.

Por fim, os bares e discotecas devem encerrar às 23 horas.

Isilda Gomes felicitou a decisão voluntária do Bar Marginália, lugar de culto para os amantes da música ao vivo, que decidiu suspender o cartaz, antes mesmo de a Câmara Municipal de Portimão ter decidido avançar com esta campanha.

Agora serão distribuídos folhetos informativos numa «verdadeira campanha de disseminação desta mensagem de forma a evitar a disseminação do Coronavírus», concluiu a autarca.