Portimão ilumina edifícios públicos de lilás para assinalar a prematuridade

  • Print Icon

Município de Portimão, pelo segundo ano consecutivo, associa-se às comemorações do Dia Mundial da Prematuridade, iluminando com a cor lilás os edifícios dos Paços do Concelho, do TEMPO – Teatro Municipal de Portimão e do Museu de Portimão, a partir de 16 de novembro e até final do mês.

«Sabes o que é extraordinário?» é o mote da efeméride que se comemora em todo o mundo a 17 de novembro, sensibilizando os cidadãos para as consequências e os riscos que os bebés e crianças nascidas prematuras, bem como as suas famílias, enfrentam globalmente.

Na Europa nascem todos os anos, aproximadamente, meio milhão de recém-nascidos prematuros e estima-se que, em todo o mundo, o número ascenda aos 15 milhões, constituindo um em cada dez nados vivos, ao passo que no nosso país, segundo dados do EuroPeristat 2015, verifica-se uma percentagem de oito por cento de nascimentos prematuros, o que representou o nascimento em 2020 de 6754 bebés prematuros.

Alguns destes bebés necessitam de ser internados em unidades de cuidados intensivos, ou porque nascem antes das 35 semanas, ou porque têm menos de 2000 gramas à nascença, ou ainda porque desenvolvem algum tipo de patologia.

A nível global, as complicações do nascimento prematuro são responsáveis por um milhão de mortes e representam a principal causa de morte abaixo dos cinco anos de idade, sendo que muitos dos que sobrevivem enfrentam problemas para toda a vida, como perturbações da aprendizagem ou défices visuais e auditivos, além de complicações mais graves, como paralisia cerebral e displasia bronco-pulmonar.

O lilás foi a cor adotada para identificar esta problemática e a iluminação de edifícios emblemáticos da cidade de Portimão constitui um gesto simbólico, repetido por todo o mundo, na sequência de uma parceria estabelecida entre a Câmara local e a Nascer Prematuro – Associação Portuguesa de Pais de Bebés Prematuros.