Orçamento de Olhão para 2022 ultrapassa os 40 milhões de euros

  • Print Icon

O município de Olhão aprovou o Orçamento e as Grandes Opções do Plano para 2022 que ultrapassa os 40 milhões de euros.

No próximo ano, o executivo socialista liderado por António Miguel Pina terá quase 41 milhões de euros para gerir, o que representa um aumento de mais de 13 por cento em relação a 2021.

A Assembleia Municipal de Olhão aprovou na terça-feira, dia 21 de dezembro, o documento, que já havia merecido a concordância, por maioria, dos vereadores municipais em reunião de Câmara (votos a favor dos vereadores do PS e contra dos do PSD).

Na reunião da Assembleia Municipal, a proposta da autarquia voltou a ser aprovada por maioria, com 14 votos a favor, nove contra e uma abstenção.

O presidente do município de Olhão ressalva que «este será mais um ano marcado pela pandemia de COVID-19», onde a incerteza sobre o futuro continua a marcar a vida das pessoas e também a gestão autárquica. De qualquer forma, o orçamento para 2022 cresceu relativamente a 2021, cifrando-se agora nos 40.896.058,00 euros.

Este é um orçamento que «mantém a intransigência na manutenção da sustentabilidade financeira, o que permite continuar a realizar investimentos em áreas prioritárias, onde a criação de emprego e o acesso à habitação estão no topo das prioridades, desde que intimamente ligadas com a sustentabilidade ambiental», justifica António Miguel Pina.

A área social assume, também, grande destaque na linha estratégica da atuação municipal, tendo tomado maior incidência e diferentes contornos nos últimos anos fruto da pandemia. Assim, a Câmara Municipal de Olhão vai continuar a desenvolver uma série de políticas nas áreas da educação, da saúde e da ação social.

Refira-se também que, em 2022, vão começar a ser planeadas ou iniciadas outras grandes obras, como as oficinas municipais, o novo quartel dos Bombeiros Municipais, a Frente Ribeirinha da Fuseta, mas igualmente o novo parque de campismo e estacionamento ou uma ponte pedonal para a Ilha da Fuseta, a construção de infraestruturas para instalação de um comboio elétrico na Ilha da Armona, a ecovia Faro-Olhão e o troço Bias-Marim; continuará também a construção de habitação a custos controlados, do novo Bairro 16 de Junho ou a reabilitação de mais algumas escolas, assim como a criação de um Museu Interativo da Indústria Conserveira, da Ria Formosa e da história de Olhão.