Olhão avança com segunda fase da habitação a custos controlados

  • Print Icon

Segunda fase da habitação a custos controlados e arrendamento acessível de Olhão dá mais um passo.

O processo da segunda fase da construção de habitação a custos controlados no concelho de Olhão deu esta manhã mais um passo, com a formalização da compra dos terrenos da antiga Litografia, na Avenida Sporting Clube Olhanense, por um valor de 3.180.000,00 euros.

O ato, outorgado pela empresa municipal Fesnima e a Caixa Económica Montepio Geral, permite avançar com o processo de construção de habitação a custos controlados e arrendamento acessível, um dos principais objetivos deste executivo que pretende, de acordo com o presidente da autarquia olhanense e do conselho de administração da Fesnima, António Miguel Pina, «permitir o acesso mais justo e equilibrado por parte dos munícipes à habitação».

Esta segunda fase, que trará nova vida ao lote de terreno de dimensões consideráveis conhecido por antiga Litografia, contempla a construção de 288 fogos de habitação e 30 espaços comerciais, num total de 36.000 m2 de construção acima da soleira dos edifícios e 15 mil metros quadrados (m2) de caves destinadas a estacionamento e arrecadações.

No que diz respeito a arruamentos, estacionamento de superfície e zonas verdes, elas ocuparão cerca de 10.000 m2.

O projeto vem juntar-se à primeira fase de construção de habitação a custos controlados, situada na Rua António Henrique Cabrita, na Freguesia de Quelfes, onde avança a bom ritmo a criação de 54 fogos.

«Um dos principais requisitos para um concelho dinâmico e próspero é a existência de condições para a fixação da população, sobretudo os mais jovens», referiu, no final da cerimónia, António Miguel Pina, acrescentando que «com este investimento, estamos a criar essas condições, proporcionando a todos a possibilidade de adquirirem a sua habitação a custos razoáveis, e que caibam dentro dos orçamentos das famílias».