Ocupação hoteleira sobe em outubro, mas fica 15,5% aquém de 2019

  • Print Icon

A ocupação média por quarto no Algarve subiu, em outubro, 31,2 por cento relativamente ao mesmo período de 2020, mas ficou 15,5 por cento abaixo do valor alcançado em 2019, segundo a AHETA.

Segundo os últimos dados da Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), ontem publicados, comparativamente a 2019, antes da pandemia de COVID-19, o mês de outubro de 2021 apresentou as seguintes variações nas unidades de alojamento do Algarve:

  • A taxa de ocupação global média/quarto foi 60,5 por cento, 15,5 por cento abaixo do valor registado em 2019;
  • Comparativamente a 2020, a ocupação média subiu 31,2 por cento;
  • O mercado nacional aumentou 34,8 por cento e o externo diminuiu -21,7 por cento face a outubro de 2019;
  • Em termos acumulados, desde o início do ano, a ocupação quarto regista uma descida média de ‑50,0 por cento e o volume de vendas uma descida de -41,3 por cento face ao mesmo período de 2019;
  • Por zonas geográficas, face a outubro de 2019, as maiores descidas verificaram-se em Albufeira (‑26,0 por cento), Faro / Olhão (-19,3 por cento) e Carvoeiro / Armação de Pêra (-17,7 por cento);
  • O volume de vendas aumentou 2,3 por cento face a outubro de 2019 e 157 por cento face ao mesmo mês de 2020;
  • As vendas efetuadas através de plataformas online não incluem o pagamento das respetivas comissões, o que influencia o aumento homólogo do volume de vendas e, por essa via, os preços praticados;
  • Em outubro de 2021, 28,8 por cento das vendas foram efetuadas através de operadores turísticos tradicionais, valor que compara com os 46,8 por cento de 2019;
  • As médias não se refletem de igual modo em todos os estabelecimentos, havendo discrepâncias em função das categorias e zonas geográficas.