Museu do Traje restaura pinturas murais da «Sala do Banqueiro»

  • Print Icon

Museu do Traje de São Brás de Alportel está a restaurar um conjunto de pinturas murais que decoravam o gabinete privado do banqueiro Manuel Dias Sancho. Possível produção de artista local datada dos anos 1920.

No Museu do Traje de São Brás de Alportel foram iniciados os trabalhos de restauro de um conjunto de pinturas murais, concebidas para decorarem uma das salas da antiga Casa Bancária de Manuel Dias Sancho.

Patrícia Varela, através da sua empresa de Conservação e Restauro «Sentire» iniciaram há poucos dias este trabalho que será longo e meticuloso.

Durante este processo, que terá a duração prevista de dois meses, os visitantes do Museu terão a oportunidade ver, acompanhar e contactar diretamente com a técnica.

A primeira fase da intervenção consiste na limpeza. Velhos vernizes e sujidade serão removidos, o que permitirá restituir às pinturas as suas cores originais. Este será o primeiro painel, de uma série de seis, que se seguirão, de forma faseada.

O Museu do Traje de São Brás de Alportel ocupa uma área de 5000 m2.

O edifício senhorial que ao longo dos últimos 130 anos foi moradia das famílias Dias, Andrade e Sancho, encontra-se rodeado por infraestruturas que satisfaziam as necessidades de uma família abastada de finais do século XIX: casa de criados, mirante, cavalariças, cocheira, oficinas, casas agrícolas e horta.

Aqui e ali os equipamentos indispensáveis à vida: poço e nora, moinho de vento, depósitos de água, cisterna, tanque de lavagens, canais de rega.

Embora de nítida influência urbana, o edifício retrata o modo de vida de uma família rural e endinheirada do interior algarvio.

Os ventos de um romantismo tardio que soprou pelo Algarve durante as últimas décadas de oitocentos, deixaram em São Brás de Alportel este testemunho: pátios interiores, linhas neo-árabes, recantos, reixas, portas rematadas em forma de ferradura.

Hoje, os tempos mudaram e como espaço museológico, este conhece um novo uso e diferentes funcionalidades. Há poucos anos, um novo edifício de traço contemporâneo, veio integrar-se na mescla de visões e influências que já existia.

O lugar, esse, ganhou um novo fôlego ao abrir as portas a todos, sendo vivido pelas pessoas da terra como ponto de encontro de pessoas e de ideias.