Mau tempo causou mais de 110 ocorrências em Loulé

  • Print Icon

Chuva intensa que caiu no Algarve durante a manhã de ontem, segunda-feira, 30 de novembro, afetou alguns municípios da região.

Um deles foi o de Loulé, onde se registaram diversas inundações e danos materiais que originaram 110 ocorrências e deram muito trabalho, desde as 6h00 da manhã de ontem, a mais de 85 operacionais, agentes da Proteção Civil, trabalhadores de diversos serviços da Câmara Municipal de Loulé, das juntas de freguesia e das empresas municipais.

A situação mais preocupante fez-se sentir na zona industrial, onde a subida do nível da água provocou inundações em diversos armazéns e outras infraestruturas. Foi necessário proceder-se ao corte de estradas e à utilização de maquinaria pesada para resolver algumas situações.

Vítor Aleixo, presidente da Câmara Municipal de Loulé, lembrou que «felizmente, apesar de tudo, não houve danos humanos a registar. Choveu mais de 40 ml/m3 nas últimas horas. Este é um fenómeno que resulta claramente das alterações climáticas que se fazem sentir hoje em dia em todo o mundo. Apesar da limpeza das bermas, valas e valetas e de outros cuidados tidos todos os anos na via pública para se evitarem inundações, as próprias infraestruturas, aquando da sua construção, não foram nem planeadas, nem pensadas para resistir a enxurradas deste nível. Este é um fator que se terá de ter cada vez mais em conta no planeamento e nas construções a realizar no nosso país, pois o clima mudou e este tipo de fenómeno será cada vez mais frequente». 

O Posto de Comando Municipal, composto pelo presidente da autarquia, por elementos do executivo, pelo Serviço de Proteção Civil, pelos Bombeiros Municipais, pelo Departamento de Obras e de Gestão de Infraestruturas Municipais, pelo Departamento de Ambiente e Serviços Públicos e pela Guarda Nacional Republicana, reuniu às 15h00 de ontem para fazer um ponto da situação no concelho, que segundo os responsáveis municipais «será monitorizada e acompanhada até ao seu total desagravamento».