Loulé valoriza Antas e Escrita do sudoeste do Ameixial

  • Print Icon

As antas e os sítios arqueológicos da freguesia do Ameixial, no concelho de Loulé, estão a ser alvo de trabalhos de valorização promovidos pela Câmara Municipal.

Este projeto, que já se encontra a decorrer, pretende reforçar a singularidade da Serra e do interior do Algarve, e encontra-se integrado na estratégia da autarquia para a valorização e divulgação dos recursos culturais deste concelho, através do seu património cultural. 

Abrange a Anta do Beringel e a Anta da Pedra do Alagar, monumentos megalíticos pré-históricos com cerca de 7.000 anos, bem como os sítios arqueológicos onde foram encontrados alguns exemplares das estelas com escrita do Sudoeste datadas da Idade do Ferro, com cerca de 2.500 anos.

Entre outros aspetos, segundo o município, «pretende-se investigar os monumentos e as estruturas ali existentes, conhecer a história desses sítios, mas também compreender o modo de vida das populações antigas que aqui viveram e com quem tinham contactos culturais e comerciais». 

O projeto distingue-se ainda por ter uma estratégia integrada entre o conhecimento científico dos monumentos e a sua classificação. Assim, as escavações arqueológicas, fundamentais para o conhecimento científico destes sítios, vão igualmente permitir identificar as ações necessárias à conservação e restauro dos monumentos que, por sua vez, irão garantir condições de proteção e segurança dos próprios monumentos e de quem os visita.

As soluções técnicas resultantes dos estudos arqueológicos e de conservação serão, deste modo, «o alicerce para um arranjo paisagístico que se pretende minimalista e integrado na paisagem natural da Serra. Desta forma, para além de se salvaguardar o sítio arqueológico, a sua valorização irá contemplar conteúdos para a visita do público em geral numa linguagem acessível, mas também o reforço da sinalética na rede rodoviária facilitando assim o acesso ao local».

Por último, para além da sua divulgação em eventos com o envolvimento da comunidade local e da integração no projeto Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira, a autarquia louletana encontra-se a diligenciar o processo de classificação dos sítios que vão ser alvo de valorização.

A Câmara Municipal de Loulé pretende, com este trabalho, promover «não só a identidade dos lugares através da valorização destes monumentos do Ameixial, mas também diversificar e potenciar a atratividade do interior do Algarve em termos turísticos, criar condições para a sua visitação, estimular o conhecimento do passado e a visita ao território serrano, e contribuir para a dinamização da economia e atratividade deste território».

O projeto de valorização da escrita do Sudoeste e das antas do Ameixial conta com fundos comunitários do Plano de Ação de Desenvolvimento de Recursos Endógenos (PADRE), integrado no Programa Operacional Regional do Algarve (PO CRESC ALGARVE 2020), cuja entidade promotora é a Associação de Municípios do Algarve (AMAL).