Loulé investe mais de €2,2 milhões em 17 fogos de habitação em Salir

  • Print Icon

Fogos dividem-se entre alguns destinados a arrendamento acessível, e outros de arrendamento apoiado.

A Câmara Municipal de Loulé aprovou ontem, quarta-feira, dia 10 de março, em reunião extraordinária, a adjudicação de três empreitadas, num montante global superior a 2,2 milhões de euros, referentes à construção de 17 fogos habitacionais na vila de Salir, dando assim «mais um passo para a concretização daquela que é a Estratégia Local de Habitação do concelho».

Os fogos projetados apresentam uma componente mista, sendo uma parte de arrendamento acessível e outra de arrendamento apoiado, de forma a responder às necessidades existentes, alargando a oferta de habitação para arrendamento a preços compatíveis a famílias de rendimento intermédio, jovens ou profissionais deslocados para a região, e apoiando os agregados familiares com carências económicas.

No âmbito do protocolado com o IHRU – Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, ao abrigo do programa «1º Direito», os Lotes 1 e 2 do loteamento da Fonte da Rata contemplarão 12 fogos habitacionais.

No caso do Lote 1, a construção foi adjudicada por 536.201,00 euros. Já o lote 2 tem um valor substancialmente superior: 1.070.441,00 euros.

Numa vertente de arrendamento acessível, o Lote 3 irá integrar 5 fogos habitacionais. Esta empreitada foi adjudicada por 635.155,30 euros.

Este é «um projeto de especial importância para uma freguesia marcada pelo envelhecimento da população, prevendo-se que seja um contributo para a fixação de jovens e dinamização das atividades locais», explica a autarquia.

O executivo municipal de Loulé ambiciona, até ao ano de 2030, «dar um apoio direto a 1400 agregados familiares com diferentes soluções habitacionais, que visam resolver as necessidades existentes no concelho».