Centro Cultural de Lagos recebe três novas exposições

  • Print Icon

Duas novas exposições têm início neste equipamento cultural no próximo sábado, dia 7 de agosto, com uma terceira já a decorrer numa nova sala inaugurada no Centro Cultural.

«Cada conta, conta», de Ana Canto, «Cápsula do Tempo», do Centro Português de Serigrafia, e «2020 – Ver para crer», de Paulo Figueiras, são as novas exposições deste segundo ciclo de 2021, que estarão patentes no Centro Cultural de Lagos.

Com uma vasta experiência na área da cerâmica, a artista Ana Canto apresenta em «Cada conta, conta» uma criativa união entre histórias e essa forma de arte.

Pegando num objeto tão simples como a «conta», através da sua criatividade concede-lhe uma nova dimensão e transcendência, apresentando obras que atravessam temas como cultura, mitologia, religião, natureza e os quatro elementos.

Presença assídua em iniciativas culturais de Lagos, Ana Canto mostra, nesta exposição, que o talento e criatividade estão em contante mutação e acompanham as nossas histórias pessoais.

O Centro Português de Serigrafia (CPS) também marcará presença neste novo ciclo através da exposição «Cápsula do Tempo: Edições do Centro Português de Serigrafia», apresentando cerca de noventa obras, de setenta e oito artistas de dezasseis nacionalidades, realizadas no CPS ao longo dos seus trinta e cinco anos de atividade.

A mostra reflete o potencial criativo das diferentes técnicas de obra gráfica – serigrafia, gravura e litografia – e da apropriação mais recente da fotografia e da impressão digital no vasto portfólio de edições do Centro.

Entre o leque de artistas expostos, encontram-se nomes como Júlio Pomar, Noronha da Costa, José de Guimarães, Siza Vieira, Cruzeiro Seixas, Cargaleiro, Alexandre Farto (conhecido por Vhils), Miguel Januário (com o nome artístico maismenos), Cristina Ataíde, Leonel Moura e Sofia Areal.

Por fim, e inaugurando um novo espaço de exposições no Centro Cultural de Lagos, junto ao pátio, Paulo Figueiras apresenta a sua visão do que foi o atribulado ano de 2020, através de obras inspiradas pelo movimento artístico surrealista, peças repletas de cor, alma e uma forte influência dos sonhos.

As exposições «Cada conta, conta» (Sala 1) e «Cápsula do Tempo: Edições do Centro Português de Serigrafia» (Sala 2 e 3) inauguram no sábado, dia 7 de agosto, ficando patentes até 9 de outubro.

Já a exposição «2020 – Ver para crer» já está disponível para visita até dia 11 de setembro.

Todas as exposições no Centro Cultural de Lagos são de acesso gratuito e podem ser apreciadas de terça-feira a sábado, entre as 10h00 e as 18h00, estando garantidas todas as normas de higiene e segurança no local (equipamento cultural com selo Safe & Clean).