João Frade toca Toninho Horta em formato trio e já pensa em novo disco

  • Print Icon

João Frade, acompanhado por Leonardo Tomich (bateria), Adriano Alves ‘Dinga’ (baixo) e ainda Natália Boechat (voz), deu um fantástico concerto no sábado, 4 de janeiro, no salão do Club Farense, em Faro.

O público presente rendeu-se às sonoridades quentes e envolventes do jazz brasileiro de Toninho Horta. Espectáculo, no mais verdadeiro sentido da palavra!

Para quem não saiba, os dois músicos que acompanharam Frade, quando se juntam ao acordeonista algarvio, dão pelo nome de LD – J Trio, e são uma das formações em que o artista está intensamente envolvido.

Trata-se de uma família musical luso-brasileira generosa e criativa que, cada vez mais, parece estar unida e inspirada.

Aliás, foi para todos evidente o prazer com que tocaram durante cerca de hora e meia. O repertório abordou temas de Antônio Maurício Horta de Melo (Toninho Horta), nascido a 2 de dezembro de 1948, um dos mais prestigiados guitarristas de jazz brasileiros que integrou o Clube da Esquina, de Belo Horizonte, Minas Gerais, onde conheceu, tocou e compôs com e para celebridades como Milton Nascimento, António Carlos Jobim, Elis Regina e Gal Costa, entre muitos outras estrelas do firmamento musical brasileiro.

Na década de 1990, Horta mudou-se para os EUA, onde deu continuidade à sua carreira, tocando e compondo com diversos músicos de referência do panorama do jazz americano e mundial.

No Club Farense, João Frade, Leonardo Tomich e Adriano Alves prestaram-lhe um brilhante tributo. Natália Boechat, convidada especial, subiu ao palco para cantar dois temas.

Em meados de 2020 está previsto o lançamento de um novo disco com temas inspirados no referido guitarrista, que igualmente permitirão eternizar a qualidade e a criatividade dos LD – J Trio.

Até lá, é de esperar que voltem à estrada, e justifica-se toda a atenção para não perder a oportunidade de os ver e escutar.

Ao barlavento, João Frade explicou que os LD – J Trio «ainda têm bastante para evoluir e que, por isso, num futuro próximo vão dar ainda mais» ao público.

Para já, «o empenhamento coletivo é grande e as expectativas são muito altas».