INE: Turismo mantém crescimento em maio com 1 milhão de hóspedes

  • Print Icon

Turismo em Portugal mantém crescimento em maio com 1 milhão de hóspedes e 2,1 milhões de dormidas contabiliza hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

«O sector do alojamento turístico registou 1,0 milhões de hóspedes e 2,1 milhões de dormidas em maio de 2021 o que compara com 126,6 mil hóspedes e 261,6 mil dormidas em maio de 2020, quando a atividade turística esteve praticamente parada», segundo a estatística rápida da atividade turística de maio, divulgada hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A autoridade estatística nacional referiu ainda que «os níveis atingidos em maio de 2021 foram, no entanto, inferiores aos observados em maio de 2019, tendo diminuído o número de hóspedes e de dormidas, 62,3 por cento e 68,6 por cento, respetivamente».

Comparando ainda com maio de 2019, observaram-se diminuições de 22,3 por cento nas dormidas de residentes e de 83,8 por cento nas dormidas de não residentes.

Já nos primeiros cinco meses do ano, verificou-se uma diminuição de 48,8 por cento das dormidas totais, resultante de variações de -3,6 por cento nos residentes e de -72,7 por cento nos não residentes.

«Note-se que estas variações são influenciadas pelo facto de nos dois primeiros meses de 2020 não se ter ainda feito sentir o impacto da pandemia», ressalvou o INE.

Numa comparação com o mesmo período de 2019, as dormidas registaram uma diminuição de 79,7 por cento (-53,3 por cento nos residentes e -90,1 por cento nos não residentes).

Em maio, 35,7 por cento dos estabelecimentos de alojamento turístico estiveram encerrados ou não registaram movimento de hóspedes, uma diminuição face aos 50,4 por cento registados em abril.

Relativamente aos mercados emissores, a totalidade dos dezassete principais mercados registou aumentos em maio, tendo representado 86,5 por cento das dormidas de não residentes nos estabelecimentos de alojamento turístico naquele mês.

No período em análise, o mercado britânico representou 25 por cento do total de dormidas de não residentes, seguindo-se os mercados espanhol (14,3 por cento), alemão (10,8 por cento) e francês (9,0 por cento).

Quanto às dormidas de residentes, o Algarve concentrou 24,7 por cento do total, em maio, seguindo-se a Área Metropolitana de Lisboa (20,1 por cento), o Norte (19,7 por cento) e o Centro (15,0 por cento).

No conjunto dos primeiros cinco meses do ano, as regiões que apresentaram menores diminuições no número de dormidas foram o Alentejo (-0,4 por cento), Região Autónoma dos Açores (-16,4 por cento), Centro (-26,8 por cento) e Norte (-39,3 por cento), enquanto as restantes regiões registaram decréscimos superiores a 50 por cento.

Entre janeiro e maio, registaram-se aumentos de dormidas de residentes na Região Autónoma da Madeira (23,6 por cento), Alentejo (16,9 por cento), Região Autónoma dos Açores (13,9 por cento) e Algarve (8,9 por cento).

No mês de maio, a estada média nos estabelecimentos de alojamento turístico, que se fixou em 2,08 noites, aumentou 0,8 por cento, depois de ter diminuído 27,2 por cento em abril.