«Guardiãs da Memória» estimulam criatividade dos idosos de Lagos

  • Print Icon

«Guardiãs da Memória – Territórios Afetivos | Narrativas Sociais» – assim se designa o projeto interdisciplinar de inclusão social e intervenção cultural promovido pela associação A Caravana Passa a que o município de Lagos decidiu associar-se.

Esta iniciativa tem como objetivos promover o envelhecimento criativo, a integração social e a autoestima dos idosos, especialmente fragilizados pelo contexto de pandemia, visando uma maior coesão social e territorial.

É financiada pela Direção-Geral das Artes (DGArtes) e conta também com o apoio financeiro dos três municípios parceiros, onde se inclui Lagos, que conforme deliberado na última reunião de câmara, comparticipará com uma verba de 5.000 euros.

Uma decisão que, segundo explica a Câmara Municipal de Lagos em nota de imprensa, «teve em atenção o público-alvo (a comunidade sénior), a metodologia utilizada (focada na participação-ação e no envolvimento afetivo e efetivo dos idosos na construção dos objetos artísticos a partir das suas memórias afetivas), assim como a oportunidade de colocar os artistas e a comunidade local em diálogo intergeracional».

Com uma duração prevista de nove meses, o «Guardiãs da Memória» envolverá a realização de residências artísticas com a comunidade sénior, a escrita conjunta de um guião, a realização de entrevistas e uma cerimónia de apresentação do objeto final – uma curta-metragem de ficção documental – a acontecer no Centro Cultural de Lagos em 2022.

O apoio a este projeto por parte do município lacobrigense «insere-se no trabalho que tem vindo a ser realizado através de várias frentes, com destaque para o Conselho Municipal Sénior, o Gabinete de Apoio à Pessoa Idosa (GAPI) e o projeto Saúde em Movimento», que têm em comum o objetivo de «cuidar, apoiar e estimular os idosos a terem uma vida mais ativa, saudável e informada».