Forum INTREPIDA fechou terceira edição em Loulé com êxito

  • Print Icon

A terceira edição do Forum INTREPIDA, que decorreu nos dias 21 e 22 de outubro, em Loulé, alcançou resultados muito positivos, de acordo com a satisfação expressa por todas as empresárias participantes, bem como pelas entidades que nele intervieram.

As cerca de 60 empresárias portuguesas e espanholas que participaram no fórum reforçam a importância destes encontros que propiciam o contacto e o intercâmbio de ideias e experiências, fomentando assim estratégias de colaboração entre elas. Diversas empresárias andaluzas avaliam agora a possibilidade de expandir os seus negócios ao mercado português, especialmente no setor ecológico e bio.

Para além disso, este encontro empresarial, teve ainda uma importante presença institucional com o apoio de diversas entidades.

José Manuel Cervera, diretor da Fundação Três Culturas do Mediterrâneo, destaca «a importância da instituição na aproximação dos países, das culturas e das diferentes formas de pensar no mundo dos negócios. Principalmente depois de ter sido concedida uma extensão do projeto INTERREG POCTEP Espanha – Portugal, agora sob o nome INTREPIDA+».

No decorrer do Forum INTREPIDA, Eduardo Serra, Diretor da Câmara de Comércio Luso-Espanhola, apresentou dados interessantes sobre o fluxo de negócios entre os dois países, e identificou as ferramentas que disponibilizam aos empreendedores para a sua internacionalização empresarial.

Também Francisco Serra, professor e presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve, insistiu na relevância da Euro-região Algarve-Andaluzia-Alentejo como um projeto conjunto, gerido pelos governos das três regiões, com o objetivo de promover o desenvolvimento económico e social de forma conjunta.

Madalena Feu e Carolina Travassos, representantes do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) e da Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI), respetivamente, destacaram a gestão feminina das empresas como fator diferenciador, que já provou ser a chave para a sobrevivência a longo prazo de projetos empresariais.

Neste encontro, que se realizou na sede da REGIOTIC, as participantes assistiram a interessantes conferências sobre packaging, marketing e vendas online. Além disso, visitaram o espaço COLETIVO 28 e a empresa Afago, que são um exemplo claro da capacidade de inovação e aprimoramento que caracteriza o empreendedorismo feminino.

Também neste encontro, foi apresentado o programa Erasmus+ para empreendedoras, através da oferta lançada pela Escola de Moda de Sevilha, que procura empresárias portuguesas que pretendam participar nesta iniciativa.

Por fim, a Câmara Municipal de Loulé mostrou, uma vez mais, o apoio ao empreendedorismo, destacando iniciativas como o Loulé Criativo, um espaço que garante a sobrevivência do artesanato tradicional através de formas contemporâneas, gerando emprego e a ocupação da população mais jovem em Loulé.