Faro lança concurso para habitação a custos controlados até final do ano

  • Print Icon

Câmara Municipal de Faro está a trabalhar no regulamento e planeia lançar o concurso para habitação a custos controlados, na Rua Capitães de Abril, até final do ano.

Depois de em maio de 2021 a autarquia ter Faro alienado dois terrenos para edificação de habitação a custos controlados, junto à Urbanização Calouste Gulbenkian, as obras já decorrem a bom ritmo.

A obra está a ser realizada pela empresa farense Ferreira Build Power, que para já avança com a construção do lote n.º 6, com uma área de 1067 metros quadrados (m²), localizado no gaveto da Estrada da Senhora da Saúde com a Rua Capitães de Abril.

Em paralelo, está a ser preparada a empreitada de construção no lote n.º 7, com a área de 888 m², localizado no gaveto da Rua Capitães de Abril com a Praceta Capitães de Abril.

Os lotes em causa destinam-se à construção de empreendimento de habitação de 90 fogos e 66 lugares de estacionamento na cave.

Questionado sobre o andamento do processo, Rogério Bacalhau, presidente da Câmara Municipal de Faro, revelou que «estamos neste momento a fechar o regulamento, queremos, durante este mês de junho, ou julho o mais tardar, levá-lo a reunião de Câmara. Depois seguirá para discussão pública, para que quem quiser possa dar os contributos que entender. Em setembro, ou outubro, seguirá para aprovação da Assembleia Municipal de Faro», órgão com competência para aprovar regulamentos.

«O nosso objetivo é lançar concurso até ao final deste ano para que as pessoas se possam candidatar e, no início do próximo ano, termos a seleção» dos candidatos à aquisição dos fogos concluída.

«Teremos que verificar se as pessoas cumprem todos os requisitos conforme o previsto no regulamento e depois faremos o sorteio» dos fogos.

Em relação a prazos, «a nossa expetativa é que os apartamentos possam ficar concluídos até ao final de 2023».

Em relação às tipologias dos fogos a construir, o plano prevê, em percentagem global, 30 a 35 por cento em tipologia T3, 40 a 55 por cento em tipologia T2 e 20 a 35 por cento em tipologia T1.

Rogério Bacalhau falava à margem da inauguração da nova rede bicicletas partilhadas de Faro, um projeto-piloto que vai dotar a cidade com 75 bicicletas (25 elétricas e 50 convencionais), durante 18 meses, num investimento que ronda os 200 mil euros.