Empresário promove Albufeira percorrendo Estrada Nacional 2 de Tuk-Tuk

  • Print Icon

Um empresário de animação turística do concelho de Albufeira embarcou esta quinta-feira numa viagem de Tuk-Tuk que irá ligar Albufeira a Chaves, pela Estrada Nacional 2, e de Chaves a Manteigas, ao longo de 1500 quilómetros, atravessando sessenta concelhos do País, no sentido sul/norte.

A aventura, que irá durar cinco dias e quatro noites, com o apoio da Câmara Municipal de Albufeira, tem por objetivo promover a marca Albufeira no mercado nacional e valorizar a atividade ligada às viagens de Tuk-Tuk. O pequeno veículo utilizado nesta viagem está decorado com imagens emblemáticas de Albufeira, transportando informação turística e brindes que irão ser distribuídos nas várias paragens ao longo do percurso.

No primeiro dia a expedição arranca em Albufeira e segue para Faro, onde terá início a viagem pela Estrada Nacional 2, continuando por Loulé, São Brás, Almodôvar, Castro Verde, Aljustrel, Ferreira do Alentejo, Viana do Alentejo e Montemor-o-Novo.

No segundo dia, a jornada começa em Coruche, continua por Moura, Avis, Ponte de Sor, Abrantes, Vila de Rei, Sertã, Pedrógão Grande, Góis, Lousã, Vila Nova de Poiares, Penacova, Mortágua, Tondela e Viseu.

No terceiro dia, o Tuk-Tuk de Albufeira promete surpreender as gentes de Lamego, Régua, Vila Real e Chaves e, no último dia da aventura, vai levar o intrépido viajante de Valpaços a Mirandela, Torre de Moncorvo, Trancoso, Celorico da Beira, Gouveia e Manteigas, a última paragem antes do regresso a casa.

Depois de Manteigas, a viagem segue em direção ao sul, passando por Belmonte, Covilhã, Fundão, Castelo Branco, Vila Velha de Rodão, Nisa, Alter do Chão, Fronteira, Estremoz, Évora, Portel, Vidigueira, Beja, Castro Verde, Ourique, Silves e, finalmente, Albufeira.

Para além da divulgação do destino, o empresário albufeirense refere que pretende empreender esta viagem «com vista a promover e valorizar a atividade de animação turística ligada às viagens de Tuk-Tuk, de forma original e respeitando todas as regras de segurança implementadas pela Direção-Geral de Saúde».

Trata-se «de uma forma de mostrar ao país que Albufeira está viva e que os empresários do setor tudo fazem para se reinventar e dar a volta à atual situação económica, sempre complicada nesta altura do ano, e agora muito agravada graças à pandemia».