Docapesca: preço médio do pescado em lota sobe 15 por cento em 2022

  • Print Icon

O preço médio do pescado nas lotas e postos de Portugal Continental sob gestão da Docapesca aumentou 15 por cento em 2022.

O preço médio do pescado transacionado nas lotas e postos de Portugal Continental sob gestão da Docapesca – Portos e Lotas, SA, registou um aumento de 14,9 por cento no final do mês de outubro, em comparação com o período homólogo.

Este aumento foi transversal aos diferentes segmentos da frota de pesca nacional, tendo maior expressão nas embarcações do arrasto (+18,5 por cento), mas também nas embarcações polivalentes (+15,7 por cento) e nas embarcações do cerco (+14,9 por cento).

Entre as espécies mais abundantes, o carapau registou um acréscimo do preço médio de 4 por cento face a 2021. Contudo, desde 2017, o preço médio desta espécie, objeto de campanhas de valorização e promoção desenvolvidas pela Docapesca, já aumentou 61 por cento.

O carapau valorizou cerca de 4 por cento.

O valor global do pescado transacionado em lota atingiu os 211,6 milhões de euros, representando um aumento de 1,2 por cento face a 2021, ano em que se registou o máximo histórico de vendas. Já a quantidade transacionada registou uma diminuição de 11,9 por cento, atingindo as 86,3 mil toneladas.

A Docapesca – Portos e Lotas, SA é uma empresa do sector empresarial do Estado, tutelada pelo Ministério da Agricultura e Alimentação, que, nos termos do Decreto-Lei n.º 107/90 de 27 de março, tem a seu cargo no continente português, o serviço público da prestação de serviços de Primeira Venda de Pescado, bem como o apoio ao sector da pesca e respetivos portos.