COVID-19: Segurança Social recebeu 261 mil pedidos de apoio em 2021

  • Print Icon

A Segurança Social recebeu 261 mil pedidos de apoios sociais extraordinários em janeiro e fevereiro, período durante o qual foram pedidos apoios ao emprego que abrangeram 431 mil trabalhadores e 83 mil empresas, segundo o governo.

De acordo com um documento distribuído aos parceiros sociais na reunião da Comissão Permanente de Concertação Social (CPCS), do total de apoios sociais pedidos, 143 mil são apoios à redução de atividade, 68 mil são apoios à família e 50 mil são apoios extraordinários aos rendimentos dos trabalhadores.

Do total de pedidos de apoio ao emprego, 69 mil são relativos a situações de layoff simplificado, que abrangem 333 mil trabalhadores, e 14 mil são pedidos de apoio à retoma, que abrangem 98 mil trabalhadores.

O mesmo documento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social faz um resumo global das «Medidas de Apoio Extraordinárias COVID-19» promovidas desde março de 2020, que custaram 2.725 milhões de euros.

Neste período de quase um ano foram abrangidas por estas medidas 2,6 mil milhões de pessoas e 163 mil empresas.

As «Medidas Apoio ao Emprego» incluem o layoff simplificado de 2020, que abrangeu 897 mil trabalhadores e 110 mil empresas, os apoios pós-layoff, que abrangeram 613 mil trabalhadores e 79 mil empresas, o «Apoio à Retoma Progressiva», que abrangeu 155 mil trabalhadores e 24 mil empresas, e o «Incentivo à Normalização», que abrangeu 458 mil trabalhadores e 55 mil empresas.

Os sectores da Restauração e Alojamento e o do Comércio foram os que mais recorreram ao layoff, representando 22 por cento cada, ao apoio à retoma, com 33 por cento e 15 por cento respetivamente, e ao incentivo à normalização, com 24 por cento e 26 por cento respetivamente.

Nas «Medidas Extraordinárias Apoios Sociais» foi o abono de família complementar que abrangeu mais pessoas, 800 mil, seguido da baixa (por isolamento ou doença COVID), que abrangeu 480 mil, e do Complemento de Estabilização, que abrangeu 350 mil pessoas.