COVID-19: São Brás de Alportel com 40 casos ativos

  • Print Icon

Na atualização diária da situação epidemiológica no concelho, o município de São Brás de Alportel regista hoje 40 casos ativos de COVID-19, 27 casos recuperados, 152 pessoas em vigilância, sob monitorização da Autoridade Local de Saúde.

Na atualização diária da situação epidemiológica no concelho, o Município de São Brás de Alportel lamenta registar mais três casos positivos, dois dos quais são familiares de situações já identificadas no âmbito da sua rede de contactos e o outro trata-se de um idoso hospitalizado, com diversas patologias.

«Felizmente registamos também menos 11 vigilâncias. No total registam-se 40 casos ativos, 27 casos recuperados, 152 pessoas em vigilância, sob monitorização da Autoridade Local de Saúde».

Por outro lado, o município informa que terminou o período de isolamento de todos os contactos que se encontravam em vigilância devido ao caso positivo detetado em professor da Escola de 1.º ciclo do ensino básico, estando negativos os alunos que haviam sido contagiados.

No dia de hoje não se registaram quaisquer dados novos relacionados com o caso positivo de aluno da Escola Secundária. Toda a turma de 10º ano e restantes contactos diretos testaram negativo e mantêm-se em isolamento, sob acompanhamento da Autoridade de Saúde Local, em estreita colaboração com a gestão do Agrupamento e a Câmara Municipal.

À data de hoje não se registam dados novos no Lar de Terceira Idade da Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel.

Neste momento, encontram-se positivos 24 utentes, dois dos quais encontram-se hospitalizados e um dos quais se encontra em lar familiar há já mais de duas semanas.

Todos os 21 utentes positivos que se encontram no Lar, o utente que se encontra no lar familiar e os dois funcionários que haviam testado positivo, bem como todos os demais utentes e funcionários encontram-se bem e continuam a ser acompanhados pela Autoridade de Saúde Local, em estreita colaboração com a instituição e a Câmara Municipal de São Brás de Alportel.

O concelho de São Brás de Alportel, com cerca de 10500 habitantes, é o único município algarvio no Mapa de Concelhos de Alto Risco de Contágio pelo novo Coronavírus divulgado no sábado pelo governo, e por isso, alvo de um conjunto de medidas mais restritivas.

Para o executivo de Vítor Guerreiro, que foi apanhado de surpresa, esta é uma «situação desajustada e injusta, dado que temos sido um dos concelhos da região e do país com menor número de casos, onde desde março tudo tem sido feito para conter o contágio e onde os casos ativos que têm surgido nas últimas duas semanas, razão pela qual estamos integrados neste grupo, estão perfeitamente identificado e controlados. Na realidade, a larga maioria dos casos positivos ativos neste momento, cerca de 80 por cento, dizem respeito a um único surto, perfeitamente circunscrito a um piso do Lar de Terceira Idade da Santa Casa, devidamente monitorizado pela Autoridade Local de Saúde».

Em comunicado enviado às redações, a Câmara Municipal de São Brás de Alportel lamenta «a opção por um critério frio, assente apenas e só sobre uma fórmula matemática, que não tem em conta a realidade dos territórios, nem a natureza dos surtos ou o acompanhamento que é feito pelas Autoridades Locais de Saúde, prejudicando seriamente a já tão difícil sobrevivência da economia local, de que depende o bem-estar das famílias e da comunidade. Quando sabemos que o número de casos ocorridos no tecido económico do concelho foi particamente nulo, é que este seja o sector novamente prejudicado com estas medidas cegas, aplicadas, sem uma avaliação técnica mais aprofundada».

Na verdade, «e injustamente, integramos este mapa apenas devido às caraterísticas singulares do nosso território: somos um concelho pequeno, com uma única freguesia, no centro do Algarve, rodeados pelos principais centros urbanos da região. Somos duplamente prejudicados: por termos pouca população, apesar de termos poucos casos, a percentagem ultrapassa o limite e foi considerado. E porque só temos uma freguesia, não somos considerados de baixa densidade, logo não beneficiamos da exceção, como beneficiaram outros concelhos, com situações circunscritas a um território, como é o nosso caso», acrescenta o executivo.

«A nossa comunidade tem tido exemplar no seu comportamento, sentido cívico e solidário, que importa reconhecer. Ainda assim, e por que está nas mãos de todos nós, combater esta pandemia, compreendemos a urgência da aplicação de medidas preventivas e continuaremos a desenvolver todos os esforços, para melhorar ainda mais estes resultados. Estamos solidários com a nossa comunidade, nomeadamente com os sectores atingidos mais diretamente com estas medidas restritivas, a quem continuaremos apoiar, em tudo o que nos for possível, e agradecemos desde já a melhor compreensão de todos».