Conferência aborda a presença da Inquisição da «Vila» de Loulé

  • Print Icon

«Com toda a possivel dessimulação e cautela – A intervenção inquisitorial em Loulé (1546-1780)» é a temática que será tratada em mais uma sessão de «Loulé na linha do tempo».

A conferência terá lugar no Arquivo Municipal Professor Joaquim Romero Magalhães, a 27 de novembro, às 15h00, sendo apresentada por Daniel Norte Giebels.

Neste ano de 2021 assinalam-se os 200 anos da abolição da Inquisição portuguesa, tribunal que, desde que fora fundado em 1536, instaurou mais de 40 mil processos contra cristãos batizados que se desviassem da doutrina católica, entre eles muitos louletanos.

Esta conferência pretende assinalar tal efeméride, trazendo à análise cerca de uma centena e meia de processos inquisitoriais que, entre 1546 e 1780, atingiram moradores de Loulé, revisitando ainda os principais estudos que se debruçaram sobre a presença da Inquisição nesta vila.

O conferencista irá indagar, mais concretamente, sobre os ritmos da perseguição e os trâmites processuais, sobre os colaboradores do Tribunal da Fé e as vítimas deste, numa visão tão abrangente quanto aprofundada que coloque em evidência o impacto do famigerado tribunal na sociedade louletana.

Daniel Norte Giebels é doutorado em Altos Estudos em História e mestre em História Moderna pela Universidade de Coimbra, sendo também licenciado em Património Cultural pela Universidade do Algarve.

É investigador do Centro de História da Sociedade e da Cultura, da Universidade de Coimbra, onde integra o projeto ReligionAJE, e do Centro de Estudos de História Religiosa, da Universidade Católica Portuguesa.

A participação nesta atividade está sujeita a inscrição que pode ser feita através de e-mail, uma vez que o número de participantes é limitado.