Comércio local e cabeleireiros podem abrir na segunda-feira

  • Print Icon

O comércio local de bens não essenciais e as atividades de cabeleireiro e similares vão reabrir ao público na próxima segunda-feira.

Na segunda-feira, dia 15 março, «voltarão a abrir lojas de comércio local de bens não essenciais para venda ao postigo e também as livrarias e podem ser retomadas as atividades de cabeleireiros, barbeiros, manicure e similares», disse ontem o primeiro-ministro António costa.

De acordo com o plano de desconfinamento apresentado pelo governo, reabre também o comércio automóvel.

O plano, que António Costa disse ser «prolongado», «conservador» e a «conta-gotas», prevê um retomar gradual das atividades até 03 de maio.

Por outro lado, as crianças das creches assim como os alunos do ensino pré-escolar e do 1.º ciclo regressam também aos estabelecimentos de ensino e instituições no dia 15.

No entanto, António Costa precisou que o dever geral de confinamento, como aquele que tem vigorado, é uma «das regras gerais» que se tem de manter.

As medidas da reabertura serão revistas sempre que Portugal ultrapassar os «120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias» ou sempre que o índice de transmissibilidade (Rt) ultrapasse o 1.

Costa salientou que este processo de reabertura será «gradual e está sujeito sempre a uma reavaliação quinzenal de acordo com a avaliação de risco» adotada.

«Essa avaliação de risco tem por base dois critérios fundamentais consensualizados entre os diferentes especialistas: por um lado, o número de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias e, por por outro lado, a taxa de transmissibilidade, medida através do famoso Rt».

Assim, o chefe de Estado avisou que as medidas terão que ser revistas sempre que Portugal ultrapassar «o número de 120 novos casos por dia por 100 mil habitantes a 14 dias ou sempre que o nível de transmissibilidade ultrapasse o 1».