CHUA sem urgência de urologia e oftalmologia denuncia Cristóvão Norte

  • Print Icon

Em fim de semana prolongado, no qual o aumento do número de pessoas no Algarve sobe significativamente, as unidades do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA), em Faro e Portimão «enfrentam uma escassez de médicos que coloca em causa o regular funcionamento do serviço de urgência», segundo denuncia o deputado do PSD Cristóvão Norte.

A título de exemplo, «nos dias 1, 2 e 3 de novembro não haverá urgência de urologia no Algarve, o mesmo se verificando no sábado a respeito da oftalmologia. Acresce ainda, no que respeita a ortopedia, uma especialidade que é responsável por um elevado número de episódios de urgência, que nos dias 2, 3 e 4 não haverá urgência desta especialidade em Portimão».

No caso de Faro, segundo o deputado do PSD «entre sábado ao fim da tarde até segunda de madrugada apenas haverá um médico de serviço, o que é manifestamente insuficiente para dar resposta às necessidades».

Cristóvão Norte, deputado do PSD pelo Algarve, afirma que «estas situações são cada vez mais a regra e não a excepção no Algarve. Sem fixar médicos não se resolve o problema e os doentes sentem-se desprotegidos e para terem acesso à saúde ou têm dinheiro e vão ou privado ou ficam indefesos».

O parlamentar assinala também que «é muito compreensível que os doentes vão à urgência, uma consulta demora anos, todos os prazos são ultrapassados e isso equivale a não ter acesso à saúde».

Os deputados do PSD, Cristóvão Norte, Rui Cristina e Ofélia Ramos, eleitos pelo Algarve, vão questionar o governo a respeito destas constantes falhas e solicitam, desde já, que a situação crítica que a região enfrenta na saúde seja uma prioridade de intervenção no governo.

«O que é notícia em Lisboa, acontece todas as semanas no Algarve. Este é só mais um exemplo da falência do Serviço Nacional de Saúde na região», afirma o parlamentar.