CHUA Arena acolheu 170 doentes de todo o país no primeiro mês

  • Print Icon

Hospital de Campanha do CHUA Arena acolheu 170 doentes no primeiro mês de atividade, garantindo apoio a várias unidades hospitalares nacionais

Um mês após a abertura do Hospital de Campanha instalado no Portimão Arena o balanço da atividade «é extremamente positivo», tendo em conta todo o apoio que esta estrutura de retaguarda, criada e gerida pelas equipas do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, em parceria com a autarquia e a Proteção Civil de Portimão, prestou à população algarvia, mas também aos grandes hospitais a nível nacional que transferiram doentes para o Algarve.

Enaltecendo o «empenho diário, as horas a mais e o esforço adicional dos profissionais», a presidente do Conselho de Administração, Ana Castro, que vestiu a sua farda de médica para assumir a coordenação desta estrutura sublinha que «mostrámos que o Algarve não são só praias para Turismo, somos muito mais do que isso, e quando o País precisou, nós não falhámos, estivemos lá e estaremos sempre, assim nos deem capacidade para o fazer».

Implementada em tempo recorde numa estrutura que teve que ser totalmente adaptada e apetrechada tecnicamente para funcionar como enfermaria de tratamento de doentes com COVID-19, nem os constrangimentos físicos do espaço ou a equipa reduzida para o número de utentes que recebeu foram fatores impeditivos para nos «orgulharmos da capacidade de resposta dada», frisa Ana Castro. Ao longo deste primeiro mês o CHUA Arena recebeu 170 doentes, 105 dos quais de fora do Algarve. Destes, 126 tiveram alta, 22 foram transferidos para uma das Unidades Hospitalares do CHUA.