CHUA abre 56 camas e expande internamento para doentes não-COVID

  • Print Icon

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) abre 56 camas e expande capacidade de internamento para tratamento de doentes Não-COVID e aumentar respostas em Cuidados Intensivos.

O Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA) vai abrir 56 camas em extensões de enfermaria e cirurgia de ambulatório exteriores aos seus hospitais em Faro e Lagos destinadas exclusivamente para o internamento e tratamento de doentes com Não-COVID.

Esta medida de expansão da capacidade de internamento hospitalar, traduzida pela abertura de enfermarias e acompanhadas pela equipa clinica do próprio CHUA, tem como objetivo continuar a garantir a resposta nas restantes especialidades e libertar, em simultâneo, vagas nos hospitais de referência para aumento da resposta de Cuidados Intensivos e para doentes mais diferenciados.

Resultado de um acordo de utilização estabelecido entre o CHUA e as estruturas proprietárias dos espaços em ambas as cidades mencionadas, estas extensões de enfermarias para unidades no exterior permite, como refere o vogal do Conselho de Administração, Paulo Neves, «garantir todas as condições para, mesmo em fase de pandemia, conseguirmos tratar os doentes Não-COVID em circuitos distintos, clinicamente seguros e fora dos hospitais, com a vantagem de serem acompanhados pelas mesmas equipas médicas, de enfermagem e técnicas do CHUA as quais já conhecem o historial clinico dos doentes e, dessa forma, podem potenciar uma sua recuperação mais rápida. Uma medida de gestão alternativa com claras vantagens e expectáveis ganhos em saúde para os nossos doentes».

Esta extensão do internamento para doentes Não-COVID traduz-se na prática na instalação de enfermarias em unidades de anterior utilização hospitalar, sendo que 28 vão ficar localizadas no antigo Hospital Santa Maria, em Faro (grupo Lusíadas Saúde) e 28 em instalações afetas ao Hospital de São Gonçalo, em Lagos (grupo HPA).

Toda a logística hospitalar, gestão clínica dos espaços e acompanhamento aos doentes é garantida pelas equipas de profissionais do Centro Hospitalar Universitário do Algarve.

O Conselho de Administração do CHUA «agradece o envolvimento e apoio dos municípios das cidades de Faro e de Lagos, que desde há uma semana nos estão a ajudar na operacionalização desta iniciativa que o CHUA lhes propôs e à Administração Regional (ARS) Algarve que moderou os acordos com os proprietários privados que enaltecemos no quadro da legislação do estado de emergência em vigor, assim como a autoridade de saúde pública».

Esta ação, em conjunto com a opção anterior de abrir 100 camas no CHUA Arena com o município de Portimão, «pretendem maximizar as opções de resposta diferenciada e ampliar muito as capacidades de internamento no quadro global de resposta à pandemia e ao mesmo tempo tentar recuperar os cuidados em saúde à população algarvia que servimos, desígnio defendido desde a posse desta equipa liderada pela médica Ana Castro».