Castro Marim celebra um 25 de Abril com «significado especial»

  • Print Icon

Data marcada com várias iniciativas culturais (e não só) por todo o concelho.

A Câmara Municipal de Castro Marim divulgou o programa das comemorações do 47º aniversário do 25 de Abril, tentando «resgatar um pouco da cultura e da vida em comunidade que tivemos que sacrificar nos últimos meses, respeitando as contingências ainda vigentes».

Segundo a autarquia, «este ano as celebrações da histórica Revolução dos Cravos ganham um significado especial, por coincidirem também com uma nova fase do processo de desconfinamento no âmbito da pandemia COVID-19».

Das comemorações faz parte o regresso da iniciativa «Um Livro Roubado», que assinala o Dia Mundial do Livro (23 de abril) e que concilia este período com a nova abordagem de comunicação da Biblioteca Municipal de Castro Marim, que se pretende mais aberta e próxima da comunidade.

No dia solene, 25 de abril, após o Hastear da Bandeira (às 9h00) com a Banda Musical Castromarinense, a Praça 1º de Maio volta a ser palco da tradicional Largada de Pombos.

Para evitar ajuntamentos, a autarquia castromarinense vai transmitir as celebrações online (aqui).

Ao longo do dia, vários artistas do território passam pelas principais localidades do concelho, com pequenas atuações, também transmitidas em direto no facebook do Município.

«O grande momento do dia», segundo a Câmara Municipal, está guardado para as 19h00, com um concerto online de Pedro Jóia, que apresenta o seu novo álbum «Zeca». Será «um dos mais conceituados guitarristas portugueses num tributo a dos maiores nomes da música nacional, Zeca Afonso».

E se foi a música que deu início à Revolução dos Cravos, é também a música que tenta agora quebrar o isolamento da população do concelho que vive mais isolada.

O projeto é do CLDS 4G Castro Marim (COM)Vida e chama-se A Música Bate à Porta. E bate mesmo.

Agora integrado nas comemorações do 25 de abril, o projeto leva dois acordeonistas a percorrerem as ruas dos montes com a tradicional música portuguesa. Com regras muito restritas naquilo que é o contacto interpessoal no contexto pandémico, é permitido que se juntem as pessoas do mesmo agregado familiar.

Durante toda esta semana, a Bibliomóvel leva também um pouco de abril e distribui cravos e poemas de liberdade às populações que vai visitando.

Por último, o repto que a autarquia lança à comunidade passa por «uma caminhada pela liberdade». Para se juntar ao movimento Respirar Liberdade basta inscrever-se no Gabinete de Apoio ao Munícipe (informações através do telefone 281 510 778), onde lhe será oferecida uma t-shirt.