Castro Marim aponta «dualidade» do Governo na construção de rotundas

  • Print Icon

Em causa a nova rotunda junto ao supermercado ALDI.

O município de Castro Marim dirigiu uma carta ao ministro das Obras Públicas, com conhecimento do Presidente da República, do Primeiro-ministro e do Provedor da Justiça, com o intuito de questionar o governo sobre «o porquê da Infraestruturas de Portugal (IP) não ter permitido à Câmara Municipal de Castro Marim a construção provisória da rotunda no cruzamento da Praia Verde e mais tarde autorizar à cadeia de Supermercados ALDI a construção de uma rotunda, também na EN125 e logo a escassas centenas de metros». 

Segundo divulga a autarquia, «foi há um ano que o município viu a decisão revogada pela IP, depois de já ter emitido parecer favorável sobre a rotunda neste cruzamento da Praia Verde e com todos os compromissos cumpridos, com material adquirido e com a contratualização da empreitada já efetivada».

Castro Marim rotunda

«A incoerência do volte-face foi agora acentuada com a autorização pela IP da rotunda do ALDI em Altura, revelando uma dualidade critérios e criando uma situação inverosímil para a qual Castro Marim exige uma justificação adequada», reclama o município, que considera que esta situação «manifesta também um profundo desrespeito para com os algarvios do sotavento, ao continuar o estrangulamento automóvel neste cruzamento, nos meses de verão, onde todos os anos acontecem vários acidentes».

O executivo castromarinense conclui, afirmando que continuará «a responsabilizar o poder central por eventuais acidentes que possam ocorrer naquele perigoso cruzamento».