Câmara de Olhão não autoriza Feira de Velharias da Fuseta

  • Print Icon

União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta aponta o dedo a António Miguel Pina e lamenta «rude golpe» ao comércio local.

Decorrente do Decreto-Lei nº. 6/2021 que regulamenta o estado de Emergência no levantamento de medidas do confinamento, é conferido aos presidentes das câmaras municipais o poder de decisão sobre a autorização da realização de mercados ao ar livre.

Assim, a União de Freguesias de Moncarapacho e Fuseta, entidade organizadora da Feira de Velharias da Fuseta, com data de realização prevista para o dia 11 de abril, solicitou a 1 de abril autorização ao presidente da Câmara Municipal de Olhão, António Miguel Pina, para para a efetivação da referida feira.

Em comunicado enviado à redação do barlavento, a autarquia explica que «ontem, uma semana depois, recebemos a resposta do presidente da Câmara Municipal de Olhão, informando que não autoriza a sua realização».

O executivo da União de Freguesias lamenta a decisão e sublinha que «cumpre as medidas preventivas» para fazer face à pandemia provocada pelo surto de COVID-19.

Além disso, «tem um Plano de Contingência aprovado em junho de 2020 pela Câmara Municipal de Olhão, para os mercados mensais e feira de velharias, que organiza».

Assim, «estranhamos essa decisão do presidente da Câmara Municipal de Olhão (que não acreditamos que seja política…), porque é visível o exíguo corredor onde é efetuado atualmente o mercado de terrado em Olhão, com todos ao molho e o mesmo ocorre todos os sábados, enquanto que o recinto onde se realiza a Feira de Velharias da Fuseta não tem comparação, é muitíssimo mais amplo, proporcionando maior distanciamento entre vendedores e compradores».

«Nesta altura particularmente difícil em que vivemos, lamentamos também profundamente essa decisão do presidente da Câmara Municipal de Olhão, porque os mercados de rua nas freguesias limítrofes foram autorizados pelas respetivas câmaras municipais, e principalmente pelo rude golpe que é dado às centenas de pessoas que aumentavam os seus rendimentos com a Feira das Velharias da Fuseta, em que os restaurantes, cafés e comércio em geral da vila, teriam uma manhã de domingo bastante mais rentável».