Café Calcinha entre os vencedores do Prémio de Turismo Cultural

  • Print Icon

Café Calcinha faz parte da Associação dos Cafés com História de Portugal.

A Associação dos Cafés com História de Portugal, da qual o histórico Café Calcinha, em Loulé, faz parte, é a vencedora, na categoria Transnational Thematic Tourism Products, dos prémios atribuídos pela European Cultural Tourism Network (ECTN), na edição de 2020, cujo anúncio e entrega aconteceu via plataforma online Zoom, no passado dia 22 de outubro.

A Câmara Municipal de Loulé é também uma das principais parceiras neste projeto nacional e internacional.

O Café Calcinha foi, durante o último século e até aos dias de hoje, um marco sociocultural da população local e de todos os visitantes, sendo o único espaço de tertúlia na história da cidade, que lhe configurou o privilégio de ser o estabelecimento mais emblemático e referenciado na história local.

Foi classificado como Imóvel de Interesse Municipal em 2012 e, em 2014, adquirido pela autarquia.

No ano de 2017 foi inaugurada a obra de reabilitação, trazendo ao público um espaço rejuvenescido mas sempre com o peso da história que tão bem o caracteriza.

Tendo como tema principal a promoção do turismo através do património cultural, a criação de uma rede entre Portugal e Espanha que estabeleça um itinerário de cafés históricos foi a proposta apresentada a esta rede europeia.

A ideia da candidatura surgiu pelo trabalho já desenvolvido pela Associação dos Cafés com História de Portugal, através do seu presidente Vítor Marques, e pelo historiador e jornalista galego Fernando Franjo, autor do livro «50 Cafés Históricos de España e Portugal».

«Os cafés históricos representam o património (material e imaterial), a história, a identidade e a memória viva da nossa sociedade e das nossas cidades. Devido à sua longevidade comercial podemos afirmar que, são eles também, uma das expressões dos valores, das tradições, das memórias e das vivências sociais das nossas cidades, dos nossos países e, porque não, da Europa», consideram os responsáveis da Associação dos Cafés com História de Portugal.

Vítor Aleixo, autarca louletano, felicita a Associação Cafés com História de Portugal pela distinção e pelo «fabuloso trabalho de investigação, valorização e colocação dos Cafés com História num roteiro internacional do nosso património cultural imaterial e nos guias turísticos mundiais».

Esta candidatura pretendeu recordar as histórias de vários cafés da Península Ibérica, refletir sobre a sua definição (café histórico versus café com história), mantendo vivo o legado que foi transmitido ao longo de décadas, dando visibilidade ao seu contributo para o património cultural de Portugal e Espanha.

«A nossa missão é acrescentar valor (adicionar histórias/conteúdos/tradições), ao que recebemos das gerações que nos antecederam. Temos de cuidar, divulgar e dar visibilidade aos cafés históricos, este património material e imaterial, não o deixando esquecer, projetando-o para o futuro, enriquecendo a sua vida, a sua existência, a nossa vida e a nossa existência».

Ao integrarem os circuitos turísticos regionais, os cafés históricos poderão contribuir para o desenvolvimento e coesão territorial, mas também para a sustentabilidade económica, social, cultural, turística e gastronómica. Numa época em que é valorizado o turismo de proximidade e o turismo transfronteiriço, «esta pode ser a oportunidade para atingir tão ambicionado objetivo», remata a Câmara Municipal de Loulé.