«Bem Comer»: algarvias ensinam bons hábitos de alimentação infantil

  • Print Icon

Foi no Algarve que nasceu o «Bem Comer» um projeto focado em ebooks que visam contribuir para uma melhor alimentação infantil.

Como muitas outras histórias, a aventura do projeto «Bem Comer» começou a ganhar forma com o nascimento de uma criança.

Quando nasceu a sua primeira filha, Ana Guerreiro, licenciada em Direção e Gestão Hoteleira, residente em Lagos deparou-se com um mar de dúvidas e perguntas.

Foi aí que surgiu a ideia de procurar ajuda e um dia mais tarde lançar uma ferramenta que servisse de suporte a dúvidas semelhantes.

Algum tempo mais tarde, Catarina Cruz, natural de Faro, licenciada em Nutrição e pós-graduada em Nutrição e Metabolismo em Pediatria, juntou-se a Ana e juntas elaboraram os ebooks «Bem Comer Para Bem Crescer – Especial Bebés» e «Bem Comer Para Bem Crescer – Crianças 1 a 7 anos», os quais são vendidos no site bemcomer.pt.

O ebook «Bem Comer Para Bem Crescer – Especial Bebés» visa ajudar os pais na fase da introdução dos alimentos aos bebés, e tem mais de 150 receitas, a introdução gradual do alimentos e planos alimentares para 32 semanas (desde os 4 aos 12 meses).

Já o ebook «Bem Comer Para Bem Crescer – Crianças 1 a 7 anos» pretende ajudar as famílias a ter uma alimentação saudável e equilibrada, tendo um foco especial nas necessidades das crianças.

Neste ebook são disponibilizadas mais de 80 receitas familiares, um plano alimentar completo (pequeno-almoço, meio da manha, almoço, lanche, jantar e ceia) para 1 mês e a indicação da quantidade a servir às crianças.

Os ebooks são disponibilizados em formato .pdf e podem ser consultados em qualquer tipo de dispositivo: computador, smartphone ou tablet.

O objetivo do projeto «Bem Comer» é simplificar a vida das famílias e garantir que os bebés e crianças têm acesso a uma alimentação saudável e adequada.

Desde a data de lançamento, em janeiro deste ano, o «Bem Comer» já conseguiu chegar a algumas centenas de famílias e tem recebido uma excelente reação.

«Trata-se de um projeto digital que tem vindo a registar um excelente nível de aceitação e para nossa felicidade, também temos recebido muitas mensagens de agradecimento, o que demonstra o impacto positivo na vida de várias famílias», diz Ana Guerreiro.