Banco Alimentar do Algarve aumentou apoio em 74,2% em 2020

  • Print Icon

O Banco Alimentar Contra a Fome do Algarve (Banco Alimentar do Algarve) faz o balanço da sua atividade em 2020, ano excecional, com desafios únicos para todos, onde o sector social teve um papel de vital importância no país.

Em comunicado, a estrutura afirma que «desde o primeiro minuto, esteve na linha da frente respondendo às solicitações da comunidade, que devido à pandemia, foram mais que muitas» e justifica com números:

  • Entre 1 de janeiro a 31 de março de 2019 em quantidade foram entregues 567.896 unidades de produtos alimentares no valor de 584.696,44 euros;
  • No mesmo período de 2020 foram entregues 559.959 unidades de produtos alimentares no valor de 591.531,23 euros.
  • Ou seja, entre 1 de abril a 31 de dezembro de 2019 em quantidade foram entregues 1.934.166 unidades de produtos alimentares no valor de 1.979.165,30 euros;
  • No mesmo período de 2020 foram entregues 3.369.541 unidades de produtos alimentares no valor de 3.349.192,58 euros.

  • Contas feitas, houve um aumento de 74,2 por cento nos alimentos distribuídas e um aumento do apoio alimentar na região em 1.370.017,28 euros.
  • Antes da pandemia de COVID-19 eram apoiadas 16.201 pessoas através de 104 instituições (dados de 29 de fevereiro de 2020), passando para 26.328 pessoas através de 119 instituições (dados de 31 de dezembro de 2020).

No global foram distribuídas 3,3 milhões de quilos de alimentos, dos quais 2,3 milhões angariados pelo Banco Alimentar do Algarve e 1 milhão no âmbito do Programa Operacional de Apoio às Pessoas Mais Carenciadas (PO APMC).

O apoio alimentar prestado ao Algarve foi de 3,9 milhões de euros, dos quais 2,7 milhões em alimentos doados pelas mais diversas empresas e pela população, quer diretamente ao Banco Alimentar do Algarve, quer através da Rede de Emergência Alimentar.

«O movimento de 2020 foi único, pois em 14 anos de atividade, nunca se tinha atingido tamanha operação. A generosidade das pessoas, quer através de empresas dos mais diversos sectores de atividade, quer os portugueses em geral, fizeram a diferença num ano de pandemia. Apenas temos uma palavra para tudo isto. Muito obrigado», afirma Nuno Cabrita Alves, presidente do Banco Alimentar do Algarve.

O Banco Alimentar do Algarve «é o que é, e faz o que faz, graças a todos os seus parceiros, públicos e privados (lucrativos e não lucrativos). Graças uma forte comunidade que se envolve e que lhe presta um apoio incondicional. A todos também um gigante obrigado», acrescenta o responsável.

«Mais do que nunca, todos os donativos são fundamentais e fazem a diferença na vida de cada pessoa. Sinto-me de coração cheio por todo o trabalho realizado, que apenas foi possível, devido à entrega de todos os colaboradores e voluntários, nas mais diversas áreas. Sem cada um deles isto não teria sido possível», conclui Nuno Cabrita Alves.

O Banco Alimentar do Algarve continua a contar com todos, pelo que a ajuda pode ser feita online com doações de alimentos ou através de apoio financeiro aqui ou aqui.

Em breve, através da consignação do IRS com o número de contribuinte 507668677, a ajuda pode ser feita sem qualquer tipo de custo direto a quem o fizer.

Todas as empresas da fileira alimentar, como produtores, indústria e distribuidores, também podem fazer chegar os seus excedentes ao Banco Alimentar do Algarve.