Avança a eletrificação da Linha do Algarve entre Tunes e Lagos

  • Print Icon

Eletrificação e modernização da Linha do Algarve, entre Tunes e Lagos, é um investimento de 80 milhões de euros.

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e da Habitação, participou esta sexta-feira, dia 24 de junho, na cerimónia de assinatura do Auto de Consignação da Eletrificação do troço Tunes – Lagos, o qual está integrado na eletrificação e modernização da ferrovia na Linha do Algarve, um investimento de 80 milhões de euros.

A Infraestruturas de Portugal (IP) vai dar início à empreitada de eletrificação do troço da Linha do Algarve com cerca de 45 quilómetros de extensão entre Tunes e Lagos, a qual é desenvolvida no âmbito do programa de expansão e modernização da Rede Ferroviária Nacional, Ferrovia 2020 e envolve o investimento de 25,4 milhões de euros, comparticipado pela União Europeia no âmbito do COMPETE 2020.

A IP está a promover a Modernização da Linha do Algarve, um empreendimento que engloba a Eletrificação, a instalação dos mais modernos Sistemas de Sinalização e de Telecomunicações Ferroviárias, colocação de Sistemas de Informação ao Público em todas as Estações e a supressão de Passagens de Nível.

O projeto de eletrificação da Linha do Algarve será executado em duas empreitadas. A primeira, correspondendo à eletrificação do troço entre Faro / Vila Real de Santo António, está já em desenvolvimento desde novembro de 2021.

A segunda, que corresponde à eletrificação do troço entre Tunes / Lagos tem agora início no terreno.

A concretização dos investimentos na Linha do Algarve irá assegurar grandes vantagens ao nível da qualidade do serviço de transporte ferroviário de passageiros em toda a região algarvia.

A eletrificação da Linha do Algarve em toda a sua extensão permitirá a utilização de comboios de tração elétrica, mais modernos e sustentáveis do ponto de vista ambiental, possibilitando a redução do tempo de percurso dos serviços regionais em 25 minutos na ligação entre Lagos a Vila Real de Santo António.

Ao ser assegurada a operação integral da Linha do Algarve com recurso a material circulante elétrico, permite também às populações algarvias dispor de acesso direto nos serviços de longo curso, sem necessidade de transbordo, ao principal eixo ferroviário nacional que liga o sul ao norte do país, e reduzir o respetivo tempo de percurso entre dez a 25 minutos.

A presente ação integra a candidatura submetida e aprovada no âmbito do COMPETE 2020, com a designação «Linha do Algarve – Eletrificação», referente à qual se prevê um financiamento comunitário de 85 por cento.

Uma apresentação do investimento que está hoje a ser realizado no caminho de ferro em Portugal pode ser descarregada aqui.