Autoridades holandesas abrem nova investigação ao acidente da Martinair

  • Print Icon

As autoridades holandesas estão a realizar uma nova investigação relacionada com o acidente do voo MPH495, da companhia Martinair, no Aeroporto de Faro, a 21 de dezembro de 1992.

Desta feita, a investigação abrange apenas a análise técnica ao trem de aterragem que colapsou (principal direito).

Segundo o barlavento apurou, existiram denúncias e alegadamente evidências de que alguns componentes do mesmo já estariam fora de prazo, tendo os mesmos originado o colapso do trem. Estima-se a publicação do relatório final no início deste ano.

A nova investigação foi pedida pelo Ministério holandês das Infraestruturas e Gestão da Água.

O acidente aconteceu há 28 anos. Quatro dias antes do Natal de 1992, um DC-10 da companhia aérea holandesa Martinair, com 340 pessoas a bordo (13 tripulantes e 327 passageiros) está no final da aproximação à pista 11 do Aeroporto de Faro.

Vindo de norte em direção ao VOR, voltou à direita para aterrar. Eram 7h30. Nos últimos instantes, o avião embate violentamente na pista. Faleceram dois tripulantes e 54 passageiros. 106 ficaram feridos com gravidade.

Por outro lado, o barlavento sabe que a National Geographic irá produzir um episódio dedicado ao acidente do DC-10 da Martinair em Faro, na 21 temporada do programa «MAYDAY desastres aéreos», com estreia prevista ainda ao longo deste ano.

O episódio, que está neste momento em fase de recolha de informação, é mais uma prova do interesse em perceber o que realmente aconteceu naquele fatídico dia, e reveste-se de enorme importância para todos os sobreviventes e familiares.

É também um reconhecimento da necessidade de divulgar um acidente paradigmático no estudo dos fatores humanos envolvidos.

Em maio de 2019, Pedro Fernandes, responsável pelo sistema de gestão de segurança operacional do Aeroporto de Faro, apresentou o livro «A Última Aterragem» que abordou este acidente com novas metodologias de estudo.