Anuário Estatístico do Algarve 2018 do INE analisa região à lupa

  • Print Icon

Já está disponível o Anuário Estatístico do Algarve 2018 publicado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

A edição deste ano segue a estrutura temática adotada nas anteriores, consistindo em 27 subcapítulos agrupados em quatro grandes domínios: o território, as pessoas, a atividade económica e o Estado.

No início de cada subcapítulo, apresenta-se um quadro com um conjunto de indicadores de síntese, visando uma comparação mais imediata do posicionamento das diferentes unidades territoriais nos fenómenos retratados.

Os quadros de informação são apresentados em formato bilíngue (português e inglês) e disponibilizam as hiperligações para os indicadores em Dados Estatísticos ou Base de Dados do Portal de Estatísticas Oficiais, com o nível de desagregação geográfica de acordo com a informação editada.

Está disponível, também, a informação integrada dos quadros publicados para as sete regiões em dossiês temáticos (municípios).

Os Anuários Estatísticos Regionais, cuja divulgação se iniciou na primeira metade da década de 1990, constituem a publicação de referência na disponibilização de informação estatística à escala regional e municipal.

Nesta edição, destaca-se, no capítulo as pessoas, o subcapítulo rendimento e condições de vida com informação de natureza distinta.

Este subcapítulo inclui, pela primeira vez, resultados do inquérito às condições de vida e rendimentos, realizado em 2018, sobre pobreza, exclusão social, privação material, desigualdade económica e privação habitacional, estando a informação estruturada por NUTS II e Tipologia de áreas urbanas para fins estatísticos (TIPAU 2014).

Salienta-se a introdução de novos conteúdos para a leitura da diversidade territorial da distribuição do rendimento ao nível do município a partir dos resultados das Estatísticas do Rendimento ao nível local.

Este novo projeto estatístico teve por base os dados fiscais anonimizados da Autoridade Tributária (AT) relativos à nota de liquidação do Imposto sobre o rendimento de pessoas singulares (IRS – Modelo 3), obtidos ao abrigo de um protocolo celebrado com o INE.

Estas estatísticas constituem um aprofundamento face à apropriação direta da informação da Nota de liquidação do IRS divulgada em anteriores edições dos Anuários Estatísticos Regionais, incluindo um maior número de indicadores sobre a distribuição do rendimento declarado, nomeadamente, medidas de desigualdade da distribuição do rendimento.

No capítulo a atividade económica, subcapítulo contas regionais, apresenta-se informação de acordo com uma nova série, tendo 2016 como ano base e cujo referencial metodológico é o Sistema Europeu de Contas Nacionais e Regionais (SEC 2010).

Neste subcapítulo apresentam-se resultados definitivos para 2017 e resultados provisórios para 2018.

Por último, no capítulo o Estado, subcapítulo participação política, faz-se notar a introdução dos resultados das eleições para o Parlamento Europeu e das eleições para a Assembleia da República em 2019, objetivo concretizado através de uma estreita colaboração com a Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (SGMAI).

O Anuário Estatístico da Região Algarve – 2018 tem uma página dedicada aqui.