ANJE quer apoiar empresas algarvias na transição digital

  • Print Icon

Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) conta apoiar entre 250 e 300 empresas algarvias em ações de capacitação para a transição digital já a partir deste ano e no próximo.

No âmbito da sua estratégia para a Transição Digital, a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE) pretende investir mais de 1 milhão de euros, na capacitação das Pequenas e Médias Empresas e no surgimento de novos projetos que possam ajudar o país na recuperação económica.

A ANJE desenvolveu uma estratégia de Transição Digital que permitirá apoiar as Pequenas e Médias Empresas na recuperação, através da sua transformação. O objetivo é capacitá-las com ferramentas e dotá-las de conhecimento para que possam responder aos desafios crescentes.

Para materializar este projeto, a associação que reúne jovens empresários, irá promover um conjunto de iniciativas de norte a sul do país que passam por formações de capacitação, criação de uma plataforma digital, construção de um acelerador digital. Mas como a recuperação também se faz de novos projetos, a ANJE irá promover o surgimento de novos empreendedores e projetos.

Um pilar fundamental desta estratégia é o lançamento de um Acelerador Digital, dedicado a empresas low-tech e Pequenas e Medias Empresas (PME).

Mais do que um instrumento de modernização e de introdução de tecnologia nas empresas. É um modelo de gestão completo, integrado, atual, sustentado nas melhores práticas internacionais e capaz de apoiar as empresas na sua transformação integral.

«A ANJE está convicta que poderá dar um contributo importante para a recuperação económica, colocando-se ao lado dos empresários e das empresas para os ajudar numa transformação digital que é cada vez mais urgente», afirma Alexandre Meireles, presidente da ANJE.

A formação é outro dos eixos deste plano desenvolvido pela ANJE, onde serão desenvolvidas diversas ações que permitam alargar a capacitação digital das empresas. Para isso, a ANJE está a trabalhar em estreita colaboração com os municípios.

Para que esta estratégia seja descentralizada e inclusiva, a ANJE irá percorrer o país, com o objetivo de alargar as iniciativas ao maior número de empresas possível.

Em parceria com os municípios, a associação vai colocar à disposição dos empreendedores um conjunto multidisciplinar de conteúdos de valor acrescentado ao processo de transformação das ideias em negócios.

O projeto já arrancou no Porto, onde irá incluir 120 empresas e mais de 2400 horas de formação, mas a meta para a ANJE é abranger 3.000 empresas, em cerca de 30 municípios, até ao final do ano.

No caso do Algarve, segundo o barlavento apurou, a ANJE conta apoiar entre 250 e 300 empresas em ações de capacitação para a transição digital.

Serão lançados dois Aceleradores Digitais, um em cada ano (2021 e 2022), com a expetativa de impactar 80 empresas.

«O objetivo global é potenciar as sinergias em diferentes domínios que permita provocar um efeito de arrastamento positivo em toda a região, contribuindo claramente para o crescimento económico e especialização da mesma. Queremos capacitar, integrar, envolver e dinamizar o tecido económico do algarve, para que possamos contribuir para a diversificação da economia regional», refere fonte oficial da ANJE ao barlavento.

O racional da ANJE para o Algarve é aplicar 15 por cento do âmbito do projeto nacional em todas as suas componentes, quer em termos de valor, quer em ações de capacitação e empresas a capacitar.

A ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários vai organizar, através do seu Núcleo do Algarve, em Faro, o Master Digital Marketing & E-Business.

Promoção do surgimento de novos projetos

A recuperação económica também se deverá fazer através do surgimento de novos projetos. A ANJE pretende potenciar o surgimento de novos empreendedores, fomentar a criação de emprego por conta própria e apoiar a criação de PME inovadoras.

Neste âmbito, a ANJE irá lançar um programa que visa potenciar e desenvolver nos alunos, com idades compreendidas entre os 14 e os 23 anos inclusive, as suas competências empreendedoras ao desafiá-los a participar numa mini jornada de ideação de ideias.

Será ainda colocado no terreno, o Roteiro Buzz Empreende que tem como objetivo a promoção do empreendedorismo, que percorrerá, por edição, em 10 estabelecimentos de ensino superior, do país, estando previstas 3 edições. Inclui seminários, pitchs, encontros entre empreendedores e sessões de apoio informativo.

A ANJE irá ainda desenvolver a Plataforma Gaming Empreendedorismo que servirá para incitar ao desenvolvimento de estratégia e consultoria de análise, definição de indicadores, divulgação dos resultados e competição entre empreendedores -para comparação e melhoria dos indicadores de desempenho.

Pretende-se colocar à disposição dos empreendedores um conjunto multidisciplinar de conteúdos de valor acrescentado ao processo de transformação das ideias em negócios.

E por último o projeto contempla ainda um ciclo de conferências sob a temática Empreendedorismo, procura juntar num mesmo espaço, privilegiando os territórios considerados de baixa densidade, empreendedores com o objetivo de interagir, partilhar e compreender as eventualidades de maior relevo inerentes ao ecossistema empreendedor nacional.

A transformação das empresas é fundamental, com o objetivo de não se perder a competitividade internacional. Portugal não pode perder este comboio, no despontar de um novo ciclo económico e a ANJE, que tem vindo apoiar o lançamento e o desenvolvimento de empresas em várias áreas desde 1986 pretende estar na dianteira do apoio às empresas.