Aljezur oferece 2000 sacos de batata-doce à «linha da frente» do CHUA

  • Print Icon

Proposta foi aprovada por unanimidade, como «forma de agradecimento, reconhecimento e estímulo de coragem».

O presidente da Câmara Municipal de Aljezur, José Gonçalves, apresentou na reunião de 9 de Fevereiro uma proposta para oferta de 2000 sacos de batata-doce, cerca de 10 toneladas, ao Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA).

Segundo o autarca, a medida será tomada «atendendo ao panorama de Pandemia, que nos exige, enquanto sociedade, um esforço hercúleo a todos os níveis, principalmente aos profissionais ligados à saúde, e que nestes últimos 10 meses temos assistido a essa frente, que todos os dias dão o melhor de si, e considerando que o Serviço Nacional de Saúde tem sido colocado à prova desde o primeiro minuto da Pandemia, onde todos os seus profissionais, das várias áreas, tem estado na primeira linha de combate».

Para José Gonçalves, «devemos estar gratos» a estes profissionais. Deve ser também tudo em consideração que «mesmo com o esforço de parceria entre a Câmara Municipal e a Associação de Produtores de batata-doce de Aljezur, na realização do festival da batata-doce, na aquisição de batata-doce para oferta a colocar nos cabazes de Natal, assim como a oferta a várias entidades locais e regionais, como produto de excelência, a comercialização desta iguaria sofreu uma considerável diminuição, tendo em conta que grande parte dos seus consumidores, nomeadamente restaurantes e doceiras, têm estado com a sua atividade suspensa ou consideravelmente reduzida».

Assim, conjugando toda a situação, «e com o devido reconhecimento, esta oferta é um mimo, ao pessoal médico, enfermeiros, auxiliares e demais pessoal de apoio hospitalar, que desde a primeira hora estão no combate à pandemia» COVID-19.