Alcoutim celebra protocolo para execução do projeto «+ Próximo»

  • Print Icon

Projeto combate o isolamento dos idosos do concelho.

A Câmara Municipal de Alcoutim assinou recentemente um Protocolo de Associação ao Contrato Local de Segurança com a área governativa da Administração Interna e a Cruz Vermelha Portuguesa (Centro Humanitário de Tavira), para execução do projeto «+ Próximo».

O «+ Próximo», que já vai na sua terceira edição, é um projeto inovador de teleassistência à população mais idosa do concelho (com idade maior ou igual a 65 anos) e em situação de isolamento social e geográfico).

Consiste na instalação de dois aparelhos: um é colocado na pulseira ou no colar, que pode ser premido em caso de pânico, e outro é colocado junto ao telefone, permitindo falar com a central, o que permite uma intervenção precoce em caso de risco.

Uma vez acionado, o serviço direciona a chamada para os meios mais adequados, designadamente forças de segurança, 112 ou familiares.

A execução do projeto está a cargo do Centro Humanitário de Tavira da Cruz Vermelha Portuguesa. Depois da instalação dos aparelhos, são feitas visitas periódicas para fazer um acompanhamento no local, que assenta no levantamento de necessidades, no rastreio de parâmetros de saúde (tensão arterial, glicemia e colesterol), na divulgação do serviço de teleassistência, bem como na instalação e continua monitorização da funcionalidade dos dispositivos necessários para o seu usufruto.

O projeto «+ Próximo» acompanha atualmente 70 seniores em 35 localidades dispersas pelas quatro freguesias do concelho de Alcoutim. Os utentes são maioritariamente mulheres e a média de idades ronda os 82 anos, sendo que a utente mais nova tem 65 anos e o mais velho tem 92 anos.

Este projeto foi distinguido no passado dia 18 de março com o 1º prémio na categoria «Território Inclusivo» do concurso de Boas Práticas 2022 do Algarve Active Ageing, promovido pela Universidade do Algarve.

A execução do projeto «+ Próximo – 3ª edição» pressupõe um investimento de 54.651,24 euros, financiado na integra pela área governativa da Administração Interna, sendo o valor assegurado pela Secretaria-Geral da Administração Interna através de verbas provenientes da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.