Albufeira entrega habitações de renda convencionada a oito famílias

  • Print Icon

Oito famílias do concelho de Albufeira são, desde segunda-feira, 15 de março, os novos inquilinos do município, em apartamentos arrendados em regime de renda convencionada, localizados na freguesia de Ferreiras.

A urbanização Colina dos Sobreiros vai receber três famílias enquanto a urbanização do Tominhal, por cima do edifício da Junta de Freguesia de Ferreiras, irá acolher mais cinco agregados familiares. Os apartamentos são de diversas tipologias para fazer face às necessidades habitacionais das famílias: dois T2 e um T1, na urbanização Colina do Sobreiro, e quatro T2 e um T3 na urbanização do Tominhal.

O concurso para atribuição dos oito fogos decorreu de 28 de setembro a 12 de outubro. Com a chave na mão e a cópia do contrato de arrendamento, as famílias já podem ocupar o novo lar. Além do presidente da Câmara, José Carlos Rolo, o momento contou com a presença da vereadora responsável pelo pelouro da Habitação, Ana Pífaro, do presidente da Junta de Freguesia de Ferreiras, Jorge Carmo e de técnicos da autarquia com responsabilidades na área.

Para José Carlos Rolo, a habitação é «uma das principais preocupações do município, problema agora bastante agravado, face à situação económica, laboral e social das famílias em consequência da pandemia. Além dos imóveis adquiridos a particulares, como é o caso destas oito frações, temos em curso a construção de mais 40 fogos em Paderne, também para arrendar em regime de renda convencionada, e mais três projetos praticamente concluídos, com vista a darmos início à respetiva construção e posterior entrega a quem deles mais precisa».

«No total são mais cerca de 150 habitações com as quais pretendemos minimizar o problema», justifica o autarca, que acrescenta: «Albufeira é um concelho que carece de habitação para arrendar compatível com os rendimentos das famílias, dos jovens e dos profissionais de várias áreas que têm dificuldade em aqui se fixar. Daí o nosso esforço, num processo que é complexo e demorado, mas que pensamos estar no bom caminho, porque uma habitação condigna é um direito fundamental. Gostaríamos de ter projetos habitacionais em todas as freguesias».

Já a vice-presidente da Câmara Municipal de Albufeira , Ana Pífaro, referiu estar «muito feliz por podermos contribuir para a melhoria das condições de vida de oito famílias do concelho».

Esta é a primeira experiência no âmbito do Regulamento de Renda Convencionada, iniciativa deste Executivo, «que pensamos ser a forma mais fácil e mais ágil de conseguir atribuir habitação à classe média. Este é apenas um pequeno passo, mas penso que até ao final do presente mandato ainda vamos conseguir proceder à entrega de mais alguns fogos». 

Relativamente aos oito fogos que foram entregues ontem, Ana Pífaro explicou que na urbanização do Tominhal houve a necessidade de proceder a reparações porque os imóveis não eram novos. «Ao contrário dos fogos na urbanização Colina do Sobreiro, três frações remanescentes da habitação a custos controlados que o construtor não conseguiu vender e que a Câmara Municipal decidiu adquirir para efeitos de arrendamento, os fogos da urbanização do Tominhal não estavam em condições de habitabilidade, sendo que as cozinhas e os WC tiveram que ser substituídos. Em qualquer uma das oito frações optámos por colocar os eletrodomésticos indispensáveis (frigorífico, exaustor, fogão e esquentador) para que possam começar a ser utilizados».

O processo levou algum tempo e ficou um pouco atrasado em relação aos timings previstos, porque a pandemia também não ajudou, «mas o que é importante para a Câmara Municipal e para as famílias é esta solução de habitação digna e a custos muito mais baixos em relação ao que é o valor de mercado no concelho de Albufeira», sublinhou a vereadora. 

Até ao final do ano, está prevista a conclusão de mais 40 habitações em regime de renda convencionada, em Paderne, pelo que a autarquia pretende iniciar brevemente o concurso destinado à atribuição dos fogos, com vista a acelerar o processo, situação que será anunciada oportunamente. 

Refira-se que, sempre que possível, «a autarquia privilegia a criação de projetos habitacionais em terrenos do município, como é o caso dos 40 fogos de Paderne, dos 28 apartamentos a construir na Rua Samora Barros, dos 26 junto ao Mercado dos Caliços, ambos em Albufeira, e dos 70 fogos previstos para Fontainhas (Ferreiras), por se tratar de processos mais rápidos e menos onerosos».

Ana Pífaro referiu que apesar da dificuldade em encontrar terrenos, a autarquia «continua a desenvolver esforços nesse sentido, apesar de não haver, ainda, terreno disponível na freguesia da Guia. O presidente José Carlos Rolo continua a procurar uma solução porque gostaríamos de ter projetos habitacionais em todas as freguesias».