Albufeira investiu mais de 22 milhões de euros no combate à COVID-19

  • Print Icon

Contas da COVID-19 estão feitas em Albufeira e apontam que o município concentrou mais de 22 milhões de euros em medidas de combate à pandemia, incluindo suspensão de taxas, impostos e demais verbas, bem como diversos investimentos e apoios de ordem social.

Foi «tudo foi feito em nome das pessoas, para as pessoas e com as pessoas; e para acautelar o futuro, de modo a que Albufeira continue a ser o destino de sonho que sempre foi». Este foi o mote utilizado por José Carlos Rolo, presidente da Câmara Municipal de Albufeira, para divulgar o investimento da autarquia no combate à COVID-19: entre as perdas de receita e as medidas tomadas, desde março de 2020, o município de Albufeira investiu 22.191.523 euros em diversas frentes.

«Não foram poupados esforços no que tange a aquisições de bens e serviços para fazer face aos inúmeros problemas causados pela pandemia, os quais passaram pela compra de máscaras, produtos de limpeza, serviços de desinfeção, barreiras e sinalização, aluguer de equipamentos, computadores portáteis (110), tablets (584) e serviços informáticos para as escolas e para serviços de saúde e demais grupos da chamada linha da frente, ecógrafos e termómetros, ventiladores, testes ao vírus, serviços de transporte de doentes e a montagem de um Centro de Vacinação, que inoculou já 69652 vacinas», explicam os responsáveis autárquicos. Estas medidas somaram 4.240.888 euros.

Quanto a apoios financeiros a entidades externas, estes ascenderam a 4.113.610 euros, nomeadamente para a criação do Fundo de Apoio Empresarial e para associações de classe e de âmbito social, nomeadamente: ACRAL, AHRESP, Albucoop – Cooperativa de Rádio Táxis de Albufeira, AHSA – Associação Humanitária Solidariedade Albufeira, Centro Humanitário de Silves-Albufeira da Cruz Vermelha Portuguesa, CASA – Centro de Apoio ao Sem-abrigo, APPIA – Associação Pró-Partilha e Inserção do Algarve, Sociedade S. Vicente Paulo, Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Albufeira, Santa Casa da Misericórdia de Albufeira, Fundação António Silva Leal, Centro Paroquial de Paderne e ARFIA – Associação do Rancho Folclórico Infantil de Albufeira.

Foi ainda dado apoio à Associação para o Desenvolvimento do Centro Académico de Investigação e Formação Biomédica do Algarve AD-ABC.

As perdas de receita prenderam-se com a suspensão das tarifas fixas de água, águas residuais e resíduos sólidos, quebras de receita de IMT, de taxas de ocupação da via pública, de suspensão de rendas de espaços comerciais e isenção de pagamentos em transportes urbanos e escolares, bem como a isenção de pagamento de publicidade, somando uma verba de 13.837.025 euros.

José Carlos Rolo aponta que «é uma quantia considerável, alguns investimentos que tínhamos previsto, se este fosse um ano dito normal, passaram para outro calendário, porque a prioridade são as pessoas, sempre, bem como o seu futuro. E neste âmbito, as crianças e os idosos mereceram-nos uma atenção especial».

O presidente da Câmara Municipal reitera as suas esperanças no crescimento económico, esperando não ser necessário mais nenhum confinamento. «O ano de 2020 foi particularmente difícil, mas fizemos tudo quanto podíamos e até mais», concluiu.