Albufeira investe na conservação de igrejas e património religioso

  • Print Icon

Município assinará protocolo com a Fábrica da Igreja Paroquial de Albufeira.

A Igreja Matriz, a Igreja de Sant’Ana e a Igreja de São Sebastião, todas em Albufeira, imóveis «de grande interesse religioso, cultural e arquitetónico e que contribuem para o desenvolvimento do turismo e cultural da região», estão a ser alvo de obras de conservação e salvaguarda.

José Carlos Rolo, presidente da Câmara Municipal de Albufeira, visitou as obras durante a passada semana, integrando uma comitiva do executivo municipal que foi recebida pelo pároco, Padre Flávio Martins, e pelo responsável pela empresa que está a levar a cabo as obras.

O autarca referiu que as «as obras estão a decorrer a bom ritmo, e esperamos que estejam concluídas em breve. Albufeira tem pequenos tesouros culturais, como é o caso das suas igrejas e capelas que falam por si da evolução de um concelho e dos sonhos que guiaram o ser humano em busca de um mundo mais justo e mais belo».

As obras foram cofinanciadas pelo município, em parceria com a Paróquia, no valor de 162975 euros, numa operação que foi alvo de um protocolo específico para o efeito, atendendo a que cabe às Paróquias a responsabilidade pela recuperação e manutenção do património religioso, designadamente no que respeita às Igrejas, Capelas e Museus sob sua jurisdição.

Por sua vez, e atendendo ao art.º 3.º da Lei de Bases do Património Cultural, o Município tem a responsabilidade de assegurar a transmissão de uma herança nacional.

Após a visita a estas obras, José Carlos Rolo e a vice-presidente e vereadora da Cultura, Ana Pífaro, visitaram as obras no antigo Tribunal de Albufeira, que no início do próximo ano deverá abrir as portas como Centro de Artes e Ofícios, num investimento de cerca 557 mil euros com o apoio de fundos comunitários.

Em breve será assinado um novo Protocolo de Colaboração entre o município e a Fábrica da Igreja Paroquial de Albufeira, visando a conservação, restauro e tratamento documental do espólio impresso.

Com a assinatura desta parceria, cabe à Fabrica da Igreja Paroquial de Albufeira a conservação, restauro, inventário, tratamento documental e proteção do património material móvel, imóvel e documental.

A autarquia, por seu turno, através do serviço de Conservação e Restauro, compromete-se a dar apoio na elaboração de cadernos de encargos, pareceres técnicos e acompanhamento de obras de intervenção de conservação e restauro no património móvel, imóvel, integrado e documental da Paróquia, colaborar no inventário dos bens móveis e integrados, proceder ao levantamento e inventário do estado de conservação dos bens culturais e instruir e habilitar a Paróquia para a adoção de medidas de conservação preventiva.

Através do serviço de Arquivo Histórico, o município assegura também o tratamento do património documental (livros, maços, documentos gráficos e documentos fotográficos), mediante o levantamento, higienização, inventariação, digitalização (cuja cópia será entregue à Paróquia), descrição e disponibilização em plataforma digital de todo o espólio documental com mais de cem anos.

Este serviço garante a devolução dos documentos originais em condições de conservação preventiva e a reserva dos dados, por mútuo acordo, independentemente da idade das fontes documentais.